FEI e Cetam promovem curso técnico em enfermagem indígena no município de Careiro da Várzea

O Governo do Amazonas por meio da Fundação Estadual do Índio (FEI) em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), atendendo à solicitação da Organização de Lideranças Indígenas Mura de Careiro da Várzea (OLIMCV), vai realizar na segunda quinzena de agosto o curso técnico de enfermagem indígena no município distante 25 quilômetros de Manaus. O curso terá duração de 18 meses.

“Estamos trabalhando para que possamos atender solicitações dessa natureza e conseguir progredir cada vez mais com a formação de mais parentes. Desta maneira, poderemos estar inserindo eles em vários ambientes profissionais, pois é do desejo deles obter conhecimento para estar representando os povos indígenas em todos os âmbitos”, declarou Edivaldo Munduruku, diretor-presidente da FEI.

As lideranças indígenas protocolaram documento de solicitação da referida formação no início do mês de junho, na sede da FEI, onde imediatamente a equipe técnica da fundação fez contato com o Cetam, que em abril de 2020 lançou edital para o processo seletivo para a formação da turma do técnico de enfermagem indígena naquele município.

Para a liderança indígena Herton Mura, a formação era um sonho dos profissionais indígenas de saúde que vinha tramitando há mais de um ano para sua realização. Por conta da pandemia, as aulas não puderam iniciar no módulo presencial.

“No início de junho, a equipe da FEI e do Cetam, que é o responsável pelas inscrições, confecção, realização das provas e do curso, atenderam a solicitação das lideranças indígenas que se reuniram com os candidatos selecionados no Processo Seletivo Simplificado (PSS) do Cetam para nivelamento de informações do início do Curso Técnico de Enfermagem Indígena. Estamos gratos em ter conseguido alcançar a principal meta em profissionalizar uma parte dos parentes”, disse.

A realização do curso será na aldeia Santo Antônio e contará com o apoio da Prefeitura de Careiro da Várzea, onde serão contemplados cerca de 40 Indígenas de 17 aldeias do povo Mura.

FOTO: Divulgação /FEI.