Indústrias de grande e pequeno porte, como a Moto Honda da Amazônia e Panasonic do Brasil, instituições militares estratégicas na região, como a Estação Naval do Rio Negro, e até a ONG Fundação Amazonas Sustentável, vivem nesta sexta-feira (23), a mesma expectativa na cerimônia de entrega do Prêmio Qualidade Amazonas (PQA), promovida pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas. A entrega do Prêmio, que este ano teve 29 finalistas, acontece no evento “Qualishow”, a partir de 20h30, no Diamond Convention Center.

Considerado pela classe empresarial como o “Oscar da Qualidade”, o PQA é realizado há 25 anos pela FIEAM, período em que se tornou um indicador do nível de excelência das organizações públicas e privadas que participam do programa. De acordo com a coordenadora do Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria, da Federação, Salete Amoedo, o Prêmio, além de promover o uso de ferramentas da qualidade e de metodologias para avaliação da gestão organizacional, funciona como benchmark quando as candidatas apresentam as suas melhores práticas.

“Ao mobilizar a força de trabalho das organizações em busca de maiores níveis de qualidade dos processos, produtos e serviços, o Prêmio representa a oportunidade de reconhecimento a esses colaboradores que dão contribuições significativas para a melhoria da qualidade e aumento da produtividade e competitividade”, diz Salete.

Selecionados entre 52 inscritos, os 29 finalistas estarão reunidos no “Qualishow”: sete apresentaram relatórios na modalidade Gestão, e 22 na modalidade Processo, durante a Mostra de Gestão e Melhorias para a Qualidade, realizada em setembro deste ano, etapa final para definição dos vencedores.

A empresa Waldemiro P. Lustoza & Cia Ltda, uma das mais tradicionais do setor de transporte fluvial do Estado, com mais de 70 anos no mercado local, expôs pela primeira vez seu modelo de gestão a avaliadores do PQA. Com 24 balsas e dez empurradores em atividade, a atuação da empresa está inteiramente voltada ao atendimento de um único cliente, a gigante petrolífera anglo-holandesa Shell.

Além da WPL, a modalidade Gestão tem como finalistas a Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), o Colégio Militar de Manaus, a 12ª Icefex, a Estação Naval do Rio Negro, o Centro de Intendência da Marinha em Manaus e o 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral.

Para o presidente da FIEAM, Antonio Silva, só de aceitar expor para avaliação externa seus processos internos, principalmente seus modelos de gestão, as organizações que participam do PQA, ano a ano, podem se considerar vitoriosas. “Em especial, quando atravessamos um ano tão difícil quanto foi este para o nosso Polo Industrial de Manaus. Estar no PQA demonstra o compromisso dessas organizações com uma gestão responsável e transparente”, diz Silva.

Na Mostra, em setembro, ao falar da importância de participar do PQA, o capitão de corveta Maximiliano Oliveira, comandante do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral, citou uma recente auditoria interna, da Marinha, onde um oficial de alto escalão se mostrou curioso com o uso pela organização local de indicadores e ferramentas de gestão na atividade fim, algo que parecia inédito na corporação. Assim como as outras duas organizações finalistas da Marinha, o 3º Esquadrão convive naturalmente com estas ferramentas do PQA desde 2016.

Modalidade Processo

Uma das fortes finalistas da modalidade Processo, na categoria Média Indústria, a Technicolor Brasil, Mídia e Entretenimento foi um dos destaques na Mostra de Gestão e Melhorias para a Qualidade, em setembro, ao apresentar um decodificador híbrido HD Wi-fi, que acabou influenciando no retorno da DirecTV como cliente do Polo Industrial de Manaus depois de 12 anos afastada. Com o projeto, a Technicolor tornou-se a primeira empresa a desenvolver no Brasil esse dispositivo que permite receber canais por satélite.

Entre os outros finalistas da modalidade Processo, a 3M Manaus está representada no “Qualishow” com dois projetos, um deles de inovação no processo de fabricação do Lint Roller, que deu à planta local duas premiações internacionais como o melhor projeto de ergonomia do mundo. (Veja lista de todos os finalistas abaixo).

Segundo a avaliadora Miriam Cohen, secretária executiva do Programa Qualidade do Rio de Janeiro e que atua na banca examinadora do PQA há oito anos, as empresas participantes do Prêmio passam por um amadurecimento das suas práticas em relação ao seu nível de gestão e processos. Em 2018, além de Miriam, atuaram na banca os examinadores César Viana, da GesPública, e Félix Ricardi, do Prêmio Paulista Qualidade da Gestão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here