Take a fresh look at your lifestyle.

FIEAM entrega a ministro lista entraves do PIM

-publicidade-

Em reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), realizada na manhã desta sexta-feira, 15, na sede da autarquia, o presidente em exercício da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Nelson Azevedo, entregou ao ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Antônio Pereira, documento que lista nove entraves da indústria amazonense.

Dentre os gargalos citados, destacam-se os embaraços que impedem melhor desempenho das atividades industriais do Amazonas com a argumentação de que os Processos Produtivos Básicos (PPB´s), oriundos da Zona Franca de Manaus (ZFM), atrapalham outras plantas industriais fora da região; a negligência do Grupo Técnico Interministerial (GTI-PPB) e não cumprimento do prazo de 120 dias para estabelecer ou alterar os PPB´s apresentados, e a precária gestão dos recursos arrecadados pelas indústrias locais para aplicação em pesquisa e desenvolvimento regional.

“Precisamos desenvolver a economia e diversificar nossa matriz econômica, mas enquanto mantemos a maioria de emprego e renda do Estado com o Polo Industrial de Manaus (PIM) é necessário o apoio direto do governo, em especial da nova gestão do MDIC”, declarou Nelson Azevedo.

O ministro se comprometeu a participar de todas as reuniões do CAS, sugerindo inclusive que essas reuniões sejam itinerantes, contemplando os demais estados da região.

“Estou preocupado e atento às necessidades da região e quero contar com o apoio de cada um para superar os obstáculos existentes. Meu compromisso é de ajudar naquilo que tiver ao meu alcance e garanto que vocês vão poder contar com a presença do ministro em todas as reuniões do CAS”, disse Marcos Pereira.

Brasil Mais Produtivo

O ministro aproveitou a reunião do CAS para lançar os programas Brasil Mais Produtivo e Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE). A FIEAM, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN Amazonas) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), dá continuidade a parceira com as iniciativas federais desenvolvidas pelo MDIC.

Vale ressaltar que o CIN atua no PNCE desde a criação do programa, em 2012, trabalhando alinhado à missão de aumentar e qualificar a base exportadora, por meio da difusão da cultura exportadora.

O gerente executivo do CIN, Marcelo Lima, informa que as ações desenvolvidas pelo Centro Internacional de Negócios são disponibilizadas aos empresários amazonenses com interesse de expandir o portfólio de clientes para o mercado exterior. A programação de atividades do CIN inclui capacitação empresarial, treinamentos, e missões prospectivas e comerciais.

“Nos anos de 2012, 2013 e em 2016, o CIN realizou ações voltadas à elevação da cultura exportadora no Estado, mobilizando 530 participantes. Nesta nova coordenação do PNCE, que tem a Suframa como gestora, o CIN se compromete em dar um novo fôlego para as atividades do programa, promovendo e incentivando a exportação de micro, pequena e médias empresas”, disse Marcelo Lima.

O programa Brasil Mais Produtivo também é atendido pelo SENAI com consultorias, visando tornar melhor os processos produtivos industriais e apoiar as empresas participantes a aumentarem em pelo menos 20% suas produtividades.

De acordo com o coordenador do programa no SENAI Amazonas, Marcelo Aguiar, a meta da instituição é atender até setembro de 2017, 40 micro e pequenas empresas com consultorias em manufatura enxuta, metodologia baseada na redução de desperdício no processo produtivo.

“Temos 21 empresas cadastradas para receber a consultoria do SENAI na ação do programa Brasil Mais Produtivo. Atualmente concluímos o programa na Panificadora Cíntia e agora seis consultores da instituição estão atendendo nove empresas do ramo de alimentos e bebidas”, informa Marcelo Aguiar.

-publicidade-