Take a fresh look at your lifestyle.

Fiocruz afirma que aumento de casos da Covid-19 em manaus apresenta ‘níveis acima do esperado’

A afirmação foi divulgada em nota técnica

-publicidade-

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmou que o aumento nos números da Covid-19 em Manaus apresenta “níveis atuais acima do esperado”, em nota técnica divulgada nessa terça-feira (29). A instituição afirmou que a situação é reversível, desde que medidas de proteção e isolamento voltem a ser cumpridas. As informações são do site G1 Amazonas.

A primeira onda da Covid-19 no Amazonas ocorreu entre os meses de abril e maio, quando os sistemas de saúde e funerário entraram em colapso na capital. Após quatro meses de flexibilização, o governo voltou a entrar em alerta por conta da doença e decidiu fechar bares, praias e balneários.

Uma pesquisa da Fiocruz indicou que Manaus vive uma segunda onda da doença e sugeriu lockdown (bloqueio total de circulação de pessoas) para conter avanço, medida já descartada pelo governo. Até essa terça, o Amazonas registrava mais de 137 mil casos, com mais de 4 mil mortes pela Covid-19.

Conforme a nota técnica da Fiocruz, a partir da segunda quinzena de abril, foi observada uma redução gradativa no número de novos casos semanais da Covid-19, que se manteve até o final de julho. Desde então, os registros passaram a oscilar em torno de casos por 100 mil habitante no estado e na capital, o que é considerado elevado, segundo a instituição.

A partir da semana epidemiológica 34 – entre os dias 16 e 22 de agosto – foi observada uma retomada de crescimento nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no estado. A tendência, conforme o documento, é influenciada por registros de Manaus, onde se mantém desde a semana 33 – entre 9 de agosto e 15 de agosto.

“Em ambos os casos, esse crescimento ainda é relativamente lento, porém persistente, o que sugere a necessidade de reavaliação de eventuais medidas de flexibilização do distanciamento físico já adotadas ou planejadas para as próximas semanas”, diz.
Houve aumento de 50% no número de casos notificados de Covid-19 em Manaus, nas últimas duas semanas. Segundo a Fiocruz, o aumento acontece por conta de interrupções no fluxo de dados e na exposição de grupos populacionais que se encontravam protegidos até então.

Outro indicador apontado pela instituição que confirma essa tendência de aumento é a taxa de ocupação de leitos direcionados ao atendimento de pacientes com Covid-19, que chegou a atingir 25% e que atualmente atinge mais de 60% dos leitos disponíveis para a doença.

“Cabe ainda ressaltar que o estado do Amazonas vem apresentando um atraso na notificação de casos de cerca de 19 dias em relação à data de início dos sintomas da doença e que possíveis variações na exposição e adoecimento no presente, somente poderão ser avaliadas nas próximas semanas”, ressalta a nota.

A Fiocruz apontou que a situação vivenciada no Amazonas, em particular na capital, é reversível e recomendou as seguintes medidas:

implementação/implantação de medidas que visem a diminuição dos contatos entre as pessoas;
o reforço das medidas de proteção individual e coletiva;
aumento na capacidade da testagem de casos suspeitos e contatos;
o aumento da sensibilidade da vigilância epidemiológica local com ampliação da captação de suspeitos através da demanda passiva e busca ativa de casos, identificar e testar contatos, constituindo as cadeias de transmissão;
Neste cenário, conforme a Fiocruz, flexibilizar as medidas de distanciamento social e de controle da pandemia nos municípios com situação mais crítica coloca em risco não só os mesmos, mas também o seu entorno, tanto pela facilitação da difusão do vírus em direção do interior, quanto pela produção de uma demanda extra de serviços de saúde, que recairão sobre a capital.

“Além disso, temos que considerar que muitas das medidas de distanciamento social não foram integralmente adotadas em todo estado e no nível intramunicipal, de modo que sua diminuição ou flexibilização pode alterar as tendências atuais, fazendo novamente a transmissão recrudescer num curto espaço de tempo”, afirma.

A nota técnica foi elaborada pelo Observatório Covid-19 Fiocruz e pela Fiocruz Amazônia. O Observatório divulga boletins quinzenais sobre a situação epidemiológica dos estados, com dados integrados de diversos sistemas de monitoramento.

-publicidade-