As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Fiscalização agropecuária rumo à área livre de febre aftosa sem vacinação completa um mês

Visando proteger a futura área livre de febre aftosa sem vacinação, em cumprimento ao Plano Estratégico 2017-2026, do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PE-Pnefa), as ações de fiscalização agropecuária realizadas pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), nas Barreiras de Vigilância Agropecuária (BVAs), localizadas nos municípios de Novo Aripuanã, Apuí (Distrito de Sucundurí) e Manicoré (comunidade de Igapó Açú, na rodovia BR-319) completaram um mês de funcionamento nesta última quarta-feira (27/05).

Segundo o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo, mesmo no ápice da pandemia da Covid-19, a união e comprometimento dos profissionais da Agência contribuiu para a eficácia das ações que são consideradas essenciais para a preservação do patrimônio agropecuário do estado.

“A parceria da Superintendência Federal de Agricultura do Amazonas, da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (FAEA), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Polícia Militar e incondicional apoio do secretário da Sepror Petrúcio Magalhães e do governador Wilson Lima foram fundamentais para a implantação e pleno funcionamento dos novos postos de fiscalização agropecuária”, comentou o diretor-presidente da Adaf.

Alexandre explica que, além da implantação dos três Postos de Fiscalização Agropecuária, neste mês de maio, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu a vacinação de mais de 1 milhão de bovídeos em 13 municípios do Amazonas, o que representa uma conquista sanitária e econômica para a agropecuária do estado.

Sobre as barreiras – As barreiras foram implantadas no mês passado, com a proposta de proteger a futura área livre de febre aftosa sem vacinação, no sentido de controlar o trânsito de animais vacinados para a área delimitada a partir dos municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé, Ipixuna, Itamarati e parte de Tapauá, que fazem parte do Bloco I e que até 2021, poderão ser reconhecidos como áreas livres de febre aftosa sem vacinação.

No primeiro mês, 161 veículos foram supervisionados nos Postos de Fiscalização Agropecuária. Mais de 1.000 bovídeos foram fiscalizados para ter acesso às áreas livres de febre aftosa. Além disso, 20.000 kg de produtos de origem animal também passaram pela fiscalização.

Os procedimentos de fiscalização compreendem a abordagem, vistoria, inspeção, análise documental, registro de trânsito e outras ações conforme características dos produtos ou animais em trânsito.

Ao todo, o Amazonas conta com sete postos de fiscalização, sendo uma BVA no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, uma em Jundiá (Roraima), uma em Parintins, uma em Humaitá e agora, nos municípios de Manicoré, Apuí e Novo Aripuanã.

Foto: Divulgação/Adaf