A fiscalização ambiental da Prefeitura de Manaus, juntamente com os órgãos que compõem o Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas (Gipiap), fez a retirada na manhã desta quinta-feira, 22/11, de 28 armações de barracos que estavam sendo erguidos em terreno da extinta invasão José de Alencar, situada na Área de Proteção Ambiental (APA) Tarumã-Ponta Negra, às margens do Igarapé do Mariano.

A tentativa de reocupação ocorre sete anos depois da grande operação de retirada ocorrida no local. Na época, mais de 3 mil barracos foram demolidos. Esta semana, por meio de denúncia, a fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) esteve na área e constatou a tentativa de reocupação. Com este, sobe para 31 o número de focos de invasão registrados este ano na cidade. “Tivemos uma grande ação na APA do Tarumã, e hoje felizmente nós conseguimos retira-los a tempo enquanto tinha um número baixo em relação a outras invasões. Vamos continuar monitorando”

A extinta invasão José de Alencar foi retirada durante uma megaoperação realizada em junho de 2011. Na época, os invasores ocuparam uma área de aproximadamente 310.197 metros quadrados, o equivalente a 32 hectares ou 37 campos de futebol. Atualmente, o local já se encontra com a vegetação regenerada e as margens do igarapé intactas.

Ao serem abordados pelos fiscais, os invasores disseram ser oriundos de comunidades vizinhas, situadas na margem oposta do igarapé. Não houve reação por parte dos ocupantes. A ação contou com o Batalhão de Policiamento Ambiental e a Força Tática da Polícia Militar, além de representantes da Superintendência Estadual de Habitação (Suhab).

Apesar de ser particular, o terreno está situado na APA Tarumã-Ponta Negra, com Área de Preservação Permanente (APP) do igarapé do Mariano. Durante dois dias, a fiscalização da Semmas esteve no local e constatou a presença de veículos. O monitoramento continuará sendo feito pelo Batalhão Ambiental, conforme determinação do coronel Jorge Alves, comandante da corporação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here