Flávio Bolsonaro aciona Conselho de Ética contra Renan Calheiros por “bunker paralelo”

Nesta quinta-feira (15), o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) entrou com representação no Conselho de Ética do Senado Federal contra Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, por abuso de suas prerrogativas constitucionais ao, de acordo com ele, ter montado um “bunker paralelo” para ter informações de forma ilegal.

Flávio acusa Renan de ter “sentimento pessoal de vingança” contra ele e afirma que o relator da CPI pretende obter provas ilegais para subsidiar seu parecer. O senador diz ainda que o modo de agir de Renan na CPI é “totalmente desarrazoado ao promover a inversão de valores” no cometimento de abusos e excessos no seu trabalho.

“Não se trata de cercear o exercício da função para qual se encontra investido o denunciado, enquanto membro da CPI da Pandemia. No entanto, as evidências demonstram que sua conduta deva ser investigada, uma vez que o denunciado, reiteradamente age de maneira parcial, descomprometido com o objeto da Comissão Parlamentar, de forma autoritária com o desvio da finalidade, abusos e excessos”, diz o trecho da peça apresentada por Flávio Bolsonaro.

“Lamentável concluir que o denunciado necessite fazer uso de meios escusos, obtenção criminosa de informações sob sigilo de justiça, para direcionar o seu propósito que está muito longe da finalidade de uma CPI: apurar fato de maneira imparcial ou impessoal”, afirma outro trecho. Por Gazeta Brasil