A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), vinculadas à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), realizam nesta quinta e sexta-feira (27 e 28), a partir das 8h, no auditório da FMT, mais uma etapa de treinamento sobre a febre chikungunya, voltada para profissionais de saúde das redes pública e particular. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, nos dois dias de treinamento, a meta é alcançar cerca de 700 profissionais de saúde. “A programação prevê três turmas por dia, pela manhã, à tarde e à noite”, explicou o secretário.

Na manhã desta quarta-feira (26), a FMT promoveu um treinamento sobre a febre chikungunya exclusivo para seu corpo clínico. Na terça-feira (25), a Susam já havia ofertado o treinamento para profissionais das cooperativas médicas, em evento realizado no auditório do Conselho Regional de Medicina (CRM-AM). “Organizamos essas capacitações para oportunizar aos profissionais o acesso a informações atualizadas sobre a febre chikungunya, sobre o protocolo de atendimento e manejo clínico dos pacientes, preconizados pelo Ministério da Saúde”, disse Wilson Alecrim.

O treinamento desta quinta e sexta-feira será ministrado pelos infectologistas Silvio Fragoso e Antônio Magela, ambos da FMT.

Até o momento, não há registro de casos de febre chinkungunya com transmissão local, no Amazonas. O Estado registrou dois casos “importados” da doença – uma mulhere venezuelana e uma brasileira residente na Guiana Francesa, que estavam em visita à capital amazonense. No Sudeste e no Sul do Brasil, porém, a doença já tem casos de transmissão local.

A febre chinkungunya tem como transmissor o Aedes aegypti, o mesmo vetor da dengue. Como o Amazonas vive o período chuvoso, quando há um aumento da presença do Aedes, as autoridades de saúde estão redobrando o trabalho de prevenção de combate à dengue e preparando-se para o possível surgimento de casos da febre chigunkunya. “Os profissionais da rede de saúde que já têm bastante experiência no diagnóstico e manejo clínico da dengue, agora precisam estar preparados para assegurar a identificação precoce e o correto manejo dos casos da nova febre”, afirmou Alecrim.

A Febre Chikungunya é uma doença infecciosa, causada pelo vírus chikungunya (o CHIKV) e que pode ser transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti (transmissor da dengue) e, na área rural, pelo Aedes albopctus (transmissor da febre amarela). A doença, explica o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, tem manifestação semelhante à dengue, com febre alta e súbita, erupções na pele, dores musculares, tendo como principal característica as dores nas articulações. Não há, como na dengue, a manifestação hemorrágica da doença, mas as dores nas articulações podem comprometer os movimentos e perdurar por muitos meses. “Esse é o principal problema para o paciente, que terá de fazer um acompanhamento longo”, diz Bernardino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here