Take a fresh look at your lifestyle.

Força-tarefa do Governo do Estado reforça atendimento nos Hospitais e Prontos-Socorros 28 de Agosto e Platão Araújo

-publicidade-

Os Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) 28 de Agosto e Platão Araújo vão oferecer, a pacientes e familiares, atendimento de equipe multiprofissional, composta por assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Os profissionais farão o acolhimento e orientação de pacientes ou familiares de pessoas internadas nas unidades, que hoje tratam em sua maioria vítimas da Covid-19.

O Governo do Amazonas trabalha em uma força-tarefa, composta por profissionais da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) e Superintendência Estadual de Habitação (Suhab), que se unem às equipes dos prontos-socorros nesse trabalho.

O trabalho será realizado nas tendas de triagem, já instaladas pela SES-AM. O recurso, utilizado no pico da pandemia, em abril de 2020, provou-se uma estratégia bem sucedida na melhoria dos fluxos dos atendimentos nos principais HPSs adultos e, por isso, a SES-AM se antecipou na instalação da estrutura, que faz parte da quarta fase do plano de contingência do Período Sazonal da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

O atendimento a pacientes e familiares nas tendas de triagem será realizado em tempo integral, com equipes de plantão 24h, tanto na porta de entrada das unidades quanto no atendimento às famílias em busca de informação e no pós-óbito dos pacientes internados nesses hospitais.

Fluxo – Ao procurar a unidade, o paciente receberá o primeiro atendimento realizado pela equipe de enfermagem nas tendas externas. Lá os profissionais vão identificar se a pessoa se enquadra nos sintomas de Covid-19 e, dependendo do caso, ela será encaminhada para internação. Com isso, a ideia é diminuir os riscos de exposição ao vírus de pessoas que não estejam infectadas e busquem atendimento por outras causas.

Ainda na triagem inicial, serão coletados os contatos dos familiares responsáveis por receber o boletim médico diário e demais informações do paciente internado. Em caso de óbito do paciente, os familiares serão chamados à unidade e informados pessoalmente sobre o falecimento.

Após o óbito, a unidade também será responsável por emitir a declaração de óbito, e a equipe multiprofissional vai auxiliar a família na liberação do corpo, seja para a empresa funerária ou para o serviço de SOS Funeral, da Prefeitura Municipal de Manaus.

Treinamento – Os profissionais que vão atuar nas unidades passaram por um treinamento na sede da SES, nesta terça-feira (29/12), para receber atualização e orientação sobre o fluxo de atendimento, humanização e cuidados com os pacientes e familiares.

De acordo com a subcoordenadora social da UGPE, Viviane Dutra, que coordena a operação, muitos dos profissionais já realizaram esse trabalho durante o pico da pandemia no estado, no primeiro semestre de 2020, e estão mais preparados para atuarem de maneira segura e humanizada.

“Parte dessa equipe já atuou no primeiro momento da pandemia, então já possuem essa expertise. Logo, a ideia é que façamos um alinhamento de como deve ser da maneira mais segura o manejo dos corpos, para agilizar processo do funeral, processo do sepultamento, para evitar que se perca tempo de atendimento dentro dos hospitais ou que se gere situações de risco junto às famílias”.

A coordenadora também explicou que, em paralelo ao trabalho de liberação de corpos, será feito o acompanhamento psicossocial dos familiares. “Tendo em vista o momento de vulnerabilidade por que eles estão passando, essa vulnerabilidade social e psíquica também vai ser amparada por meio dos técnicos do Estado”.

Humanização – O secretário de Estado de Saúde, Marcellus Campêlo, explicou a iniciativa. “É um esforço que o Governo do Estado e a Secretaria de Saúde estão fazendo para que as famílias dos pacientes, que estão internados na nossa rede, tenham assistência necessária, desde o momento em que entram na unidade até a hora que deixam o hospital por alta ou óbito”, disse Marcellus Campêlo.

Em paralelo a esse trabalho, o Gabinete de Resposta Rápida da SES-AM também montou uma subcomissão para agilizar o processo de liberação de corpos das unidades, formada por setores do governo, prefeitura e associação de empresas funerárias.

“Além de proporcionar melhores condições de guarda, conservação, velório e retirada de corpos, estamos melhorando o atendimento às famílias, atuando em parceria com o Município, por meio do SOS Funeral e Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), e das empresas funerárias. Também estamos revisando os protocolos, aperfeiçoando o processo de identificação de corpos, a comunicação e a orientação às famílias, tanto em relação às informações do paciente internado quanto na comunicação do óbito”, garante Marcellus.

FOTO: Rodrigo Santos/SES-AM

-publicidade-