Uma força tarefa envolvendo a Coordenadoria Municipal Vigilância Sanitária, Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (ADAF), Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento, Associação dos Talhadores de Carne e Polícia Militar vai lançar uma campanha intensiva de combate ao abate e comercialização de carne clandestina no município de Parintins.

Para montar a estratégia de atuação conjunta, uma reunião aconteceu na sexta-feira passada, na sede da Vigilância Sanitária, localizada no Porto da Cidade. De acordo com a coordenadora municipal de Vigilância Sanitária, Juliana Castro, são constantes as denúncias de venda de carne clandestina em determinados estabelecimentos e uma medida mais enérgica deve ser adotada para coibir a ação e zelar pela saúde pública.

Em conjunto com os órgãos parceiros a Vigilância Sanitária apresentou o projeto de fiscalização e combate o abate a comercialização de carne e abate de gado clandestino dentro dos açougues, comércios varejistas e atacadistas que trabalham com venda de carne. “No primeiro momento foi organizado uma estratégia com a atribuição de cada órgão no processo de fiscalização e conscientização, mas estaremos realizando o dia “D” da campanha que deve acontecer entre os dias 15 e 20 de fevereiro”, disse Juliana.

Juliana Castro afirma que uma das medidas da campanha será acionar a população parintinense, os proprietários de estabelecimentos para aderirem a ação. Outro objetivo é tomar medidas para monitorar a carne que está saindo do matadouro e está chegando aos açougues. “E com isso confrontar informações de que açougue está comercializando carne que não passou por inspeção, seja carne proveniente de abate dentro do município ou de outros estados. Com isso pretendemos facilitar a ação do fiscal sanitário na detecção de quais estabelecimentos estão comercializando carne clandestina”, assegurou Juliana Castro.

A gerente local da ADAF, Mara Ferreira, disse que o órgão estadual sempre atuou em conjunto com a Vigilância Sanitária e vai continuar com a parceria no combate a carne clandestina. Mara Ferreira assegurou que a ADAF tem como atribuição fiscalizar e controle no trânsito de produtos de origem animal e vegetal, verificando o transporte de carne sem documentação. “Se for identificada carne de origem incerta e sem a devida autorização, a medida é acionar a policia militar para fazer a apreensão juntamente coma Vigilância Sanitária”, afirmou. Mara Ferreira ressalta que em conjunto o trabalho fica bem melhor para fazer a fiscalização e conscientização para a população.

Para o presidente da Associação dos Talhadores de Carne de Parintins, Adailson Barroso, em primeiro lugar a entidade trabalha para zelar pela saúde da população. “Nós somos pais de família e precisamos ganhar nosso dinheiro, mas trabalhando honestamente e fazendo o combate a carne clandestina no município, principalmente nos açougues que são filiados a associação, bem como os que não são associados, restaurantes, supermercados e churrasqueiras. Só com a união de todos vamos conseguir evitar a comercialização de carne clandestina”, disse Barroso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here