O gerente da Cachaçaria do Dedé, Pedro Marques Brito, que desapareceu há três dias, devolveu, neste sábado (3), a quantia de mais de R$ 80 mil que havia roubado da loja e deve se entregar à polícia. Porém, ele não vai ser preso.

De acordo com a titular do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegada Fabíola Queiroz de Oliveira, que investiga o caso, o gerente será indiciado por furto, mas não será preso por não ter sido flagrante. Pedro Marques responderá o processo em liberdade.

A delegada esclareceu que o cunhado do acusado, identificado apenas como André, foi quem confirmou que Pedro Marques tirou a quantia de mais de R$ 80 mil da loja no dia 31 de dezembro.

De acordo com o depoimento do cunhado, Pedro estaria nas proximidades do município de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus) e se arrependeu do que fez. Por isso, pediu para que o pai dele entregasse o dinheiro, que foi recebido na delegacia do município.
De acordo com a delegada, Pedro Marques estaria se dirigindo a Manaus para se entregar e esclarecer mais detalhes do caso.

Entenda o caso

A Polícia Civil iniciou as investigações suspeitando que o gerente Pedro Marques Brito tivesse sido sequestrado na última quarta-feira (31), depois de sair da Cachaçaria do Dedé localizada, no Shopping Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, onde trabalhava, por volta de 19h.

Familiares contam que ele saiu do local de trabalho, foi para a casa da mãe, no Conjunto Eldorado, Zona Centro-Sul, e ao sair para passar o Réveillon com a mulher não foi mais visto.

O Shopping Ponta Negra, local da unidade da Cachaçaria do dedé em que Pedro trabalha, informou que entregou as imagens do circuito interno do centro de compras, com o objetivo de contribuir para as investigações da ocorrência.

A gerência destaca que, pelas imagens, tudo indica que não havia sequestro nas dependências do shopping.

Com informações de Ive Rylo (Jornal EM TEMPO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here