Gestão salarial: 5 passos para você assumir o controle dos seus gastos

O especialista em negócios Diego Arruda ressalta a importância de equilibrar o orçamento e alerta sobre consumos desnecessários não são prioridades

Seja aquele que recebe adiantamento salarial ou mesmo o que espera todo 5° dia útil do mês, a sensação de que o trabalhador tem é de ele trabalha, trabalha, mas o salário não rende, não sobra e muita gente, de fato, nem sabe para onde está indo o seu dinheiro, pois recebe e em poucos dias está “liso” novamente.

Isso acontece porque, geralmente, é consequência da falta de uma organização salarial. Mas é uma situação reversível, pois quando o trabalhador passar a ter controle dos seus próprios hábitos de consumo, ele notará um dinheiro sobrando.

“Com dedicação e disciplina, o assalariado conseguirá pagar suas contas e juntar um pouquinho todo mês”, disse o especialista em negócios Diego Arruda, que também é empresário. “Ter uma vida financeira mais saudável só vai depender do primeiro passo que o trabalhador der para reorganizar os gastos”, completa.

Algumas dicas simples, elencadas pelo especialista, podem te ajudar a ter mais controle dos seus gatos. Abaixo, estão os passos.

“Esses conselhos valem tanto para quem recebe bem, quanto para quem recebe razoavelmente. O importante é ter consciência sobre os padrões de consumo para assim ter uma certa coerência entre a renda e o gasto”, pondera.

Saiba o seu salário líquido: “Saber primeiro, exatamente, o que se recebe é o primeiro passo para saber até onde se pode gastar para não ir além da remuneração”.

Elabore uma planilha com seus gastos mensais: “Tente se lembrar dos valores de tudo que andou gastando no último mês, tanto das despesas fixas (aluguel, plano de saúde), quanto às despesas variáveis (luz, água, combustível, alimentação) e os esporádicos, que são os pessoais ou reparos para casa. Calcule e veja se ultrapassa seu salário bruto. Assim, você consegue identificar onde andou gastando para mais”.

Reorganizando as contas: “Com o levantamento anterior, é possível saber os que são essenciais, o que são supérfluos, os que podem ser reduzidos e, até mesmo, os que podem ser cancelados, como algum serviço por assinatura”.

Tenha disciplina: “Um breve planejamento já foi feito, agora o próximo passo é ter controle ao longo do mês. Evite cair na tentação de comprar aquela roupa ou aquele lanche. Busque mesmo comprar só o essencial e a vista, nada a prazo”.

Crie um fundo emergencial: “Começando a entender o seu padrão de consumo, dando prioridade aos que são essenciais, não vai demorar para sobre um capital na sua conta. Mas nada de gastar, pelo contrário deixe guardado para eventuais situações médicas, por exemplo. Com tudo controlado, também será possível tirar até 30% do salário mensal para fazer esse fundo”.

Sobre Diego Arruda

Diego Arruda é um especialista em ajudar pessoas a empreender e a descobrir oportunidades de negócios. Através de consultorias e treinamentos, ajuda a revelar nichos de mercado para parceiros e clientes.

Com a chegada da pandemia, conseguiu o registro de teste rápido para a Covid-19, o que gerou uma grande colaboração para a sociedade e um forte faturamento indo na contramão da crise.

A meta agora para o próximos anos é continuar empreendendo e expandindo os negócios buscando novas oportunidades.

créditos: Pixabay