Na noite desta quinta-feira (27), o governador José Melo, acompanhado da primeira-dama Edilene Gomes, participou do Baile dos Sexagenários, no Centro Estadual de Convivência do Idoso, no bairro Aparecida, zona sul. A festa é o ápice do projeto “Envelhecentes”, desenvolvido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Seas), e que oferece preparação psicossocial, intelectual e física de adultos de 40 a 59 anos para o envelhecimento saudável. Os integrantes têm acesso a cursos nas áreas de saúde, alimentação, direito dos idosos, aposentadoria e participam de atividades culturais, esportivas e de lazer.

“Esse projeto tem sido fantástico na valorização do idoso e faz algo que é fundamental: preparar as pessoas para viver a velhice com mais qualidade. É um trabalho que orienta as pessoas para essa fase da vida que eu considero a mais bonita. Eles estão entrando na melhor idade para os seres humanos, em que são mais compreensivas e podem passar sua experiência. É uma idade maravilhosa e eu desejo que Deus permita que eles possam viver essa fase com muita saúde e alegria”, enfatizou Melo.

O Baile dos Sexagenários reuniu 30 idosos amazonenses que se prepararam durante um ano para aproveitar o melhor da nova fase da vida, como a dona de casa Elizete Tavares, 60 anos, que participa das atividades no Centro do Idoso há um ano e meio. Ela conta que as aulas de dança do salão e a participação no Coral foram fundamentais para manter a autoestima em dia. “A gente tem mais saúde, bem estar e felicidade. Aprende a envelhecer com saúde e se exercitando ao invés de ficar em cada vendo televisão”, disse.

Para a confeiteira Bernadete da Costa, 60 anos, o baile tem um significado especial. “Eu não tive minha festa de 15 anos e agora estou podendo comemorar essa nova mudança de fase na minha vida. Estou muito feliz”, ressaltou a integrante do projeto, que também foi uma das pessoas que participou do aniversário coletivo que aconteceu durante o baile. Na ocasião, foi cantado o “Parabéns pra Você” para as pessoas nascidas no ano de 1954 e que completaram ou ainda vão completar 60 anos de idade neste ano.

Premiação nacional – A iniciativa do Governo do Amazonas já foi premiada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome como política pública pioneira no país em garantia ao Estatuto do Idoso. Segundo a diretora do Centro Estadual do Idoso, Renata Eliziário, o programa é oferecido em todos os centros de convivência estaduais com objetivo de gerar mais qualidade de vida na terceira idade. Por isso, é aberto para pessoas a partir de 40 anos. Tempo maior para adotar cuidados com a saúde que podem significar menos dores de cabeça no futuro.

Esta é a segunda turma preparada no projeto “Envelhecentes”, com uma novidade, a qualificação e inclusão no mercado de trabalho com carteira assinada. “Neste ano, nós conseguimos indicar para o mercado de trabalho. Quatro pessoas vão trabalhar com carteira assinada pela primeira vez”, disse.

Rede de Proteção – No Amazonas, a rede de proteção e assistência ao idoso envolve serviços nas áreas de saúde, assistência social e jurídica e segurança pública. O sistema é composto pelo Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Idosa, Delegacia Especializada, Centro Integrado de Defesa e Proteção dos Direitos da Pessoa Idosa, a Vara Especializada em Apuração e Julgamento de Crimes contra a Pessoa Idosa, além dos centros de convivência da família e do idoso que garantem atividades físicas e culturais e da Universidade Aberta da Terceira Idade da Universidade do Estado do Amazonas (UnATI-UEA).

Na rede de saúde, atendimentos são disponibilizados através do Centro de Atenção a Melhor Idade (Caimi). “É importante salientar que hoje a rede de saúde, inclusive na atenção básica, dispõe de programas para o controle de doenças como hipertensão e diabetes, que afeta muitos idosos”, frisou a secretária executiva de Assistência Social do Estado, Graça Prola.

De acordo com Graça Prola, o Governo do Estado vem apoiando a implantação de conselhos municipais do idoso no interior. Em 27 municípios, as leis já foram criadas, mas somente quatro cidades estão com os conselhos efetivamente em funcionamento. Outra meta é implantar as residências inclusivas e os centros Dia para pessoas idosas e com deficiência.

“A pretensão é garantir aos municípios que aderiram à política de assistência social às residências inclusivas para pessoas idosas e também o Centro Dia, que é para as pessoas com deficiência e idosas. Nele, o idoso vai poder passar o dia desenvolvendo atividades. Tem pactuado com o governo federal a instalação em Manaus e Tefé”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here