Amazonas Notícias

Governo do Amazonas acompanha in loco força-tarefa de combate ao desmatamento e queimadas no sul do Amazonas

O Governo do Amazonas realizou, nesta quinta-feira (20/07), o acompanhamento in loco do plano de ação de combate ao desmatamento e queimadas nos municípios de Humaitá (a 590 quilômetros da capital). A força tarefa foi anunciada no dia 10 deste mês pelo governador Wilson Lima, e tem como foco principal a região sul do Amazonas conhecida como “Arco do fogo”.

Na ação de monitoramento participam o secretário de Segurança Pública, general Carlos Alberto Mansur, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), coronel Orleiso Ximenes Muniz, o Comandante de Policiamento do Interior da Polícia Militar do Amazonas (CPI/AM), coronel Marcos Encarnação, o secretário-executivo de planejamento e Gestão Integrada (Seagi), coronel Almir Cavalcante, e o chefe do Departamento de Transportes da SSP-AM, sargento Leandro Callado.

No município, também acompanharam as atividades da força tarefa, o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), major Anderson Saif, e o delegado Regional de Polícia Civil Olavo Mozer. 

“Nós estamos aqui, hoje, no município de Humaitá, onde já visitamos a parte rural, fomos até uma área onde teve o trabalho de combate à queimada, justamente para verificar in loco os trabalhos das nossas forças, dos nossos órgãos envolvidos nessas atividades de combate aos crimes ambientais e, também, para verificar necessidades, o que a Segurança Pública pode ajudar a melhorar na condição de trabalho dos nossos agentes de segurança, que aqui estão empenhadas tantos nessas duas ações que a operação Tamoiotatá e Aceiro, quanto nas demais nas unidades que aqui estão sediadas”, destacou o secretário. 

Dentro do cronograma, a comitiva esteve em acompanhamento da Operação Aceiro 2023, que conta com atuação operacional de bombeiros militares, agentes da Força Nacional e brigadistas civis no combate aos incêndios florestais. Além disso, a cúpula do plano de ação também visitou o Centro de Monitoramento da Sema e o posto de controle da Aceiro, ambos em Humaitá.

Dados do Centro de Monitoramento indicam que desde o início dos trabalhos da Operação Aceiro até a quarta-feira (19/07), 30 focos de incêndios florestais já foram combatidos nos municípios de Humaitá, Apuí, Boca do Acre, Lábrea e Manicoré, sendo 21 deles em vegetação. O comandante-geral da corporação pontuou que o preparo técnico das equipes é fundamental para que seja dada pronta resposta nas ocorrências, evitando que os incêndios tomem maior proporção. 

“Nós temos viaturas e militares desde Manicoré até Boca do Acre. Nessa primeira semana, o resultado é muito positivo. Nós temos atuado muito fortemente para impedir que os princípios de incêndio se transformem em um grande incêndio. Essa é a nossa principal missão, evitar que um fogo inicial se transforme em um grande incêndio e por consequência, vire em uma tragédia”, declarou.   

O comandante destacou que as equipes que estão em campo formam o primeiro módulo de atuação e que outros três serão enviados para atuar na operação. “Permaneceremos por aqui até novembro, que é quando as chuvas retornam e retrairemos com a tropa, mas o objetivo principal, é que nesse período mais crítico, nós consigamos saturar a área com um grande efetivo e recursos para evitar que nós tenhamos grandes tragédias no sul do Amazonas”, afirmou. 

Dados

No dia 10 deste mês o governador Wilson Lima anunciou a redução de 55% no desmatamento no Amazonas, no primeiro semestre deste ano, quando comparado ao mesmo período de 2022. Os dados são do sistema DETER, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Visita ao Centro de Monitoramento

A Força Tarefa esteve no Centro de Monitoramento, instalado na base do Corpo de Bombeiros. É a partir do espaço, que as equipes recebem e direcionam as ações empregadas nas cidades de Humaitá, Apuí, Boca do Acre, Manicoré e Lábrea. Esse trabalho já identificou 30 ocorrências de focos de incêndio, 21 delas em vegetação.

“Nós temos um posto de comando aqui em Humaitá, que recebe os comandos de Brasília, lincada com o Ipaam, em Manaus. Então, nós recebemos os alertas de foco calor e através do comando estabelecido em Humaitá, nós conectamos com todos os municípios para que as equipes que estão em campo, consigam dar a primeira resposta e evitar que tenhamos grandes incêndios”, explicou o comandante-geral.

Fotos: Lucas Silva/Secom

Relacioandos