O Governo do Amazonas concluiu a obra de recuperação definitiva da estação de captação de água do Programa Água para Manaus (Proama), que já está em funcionamento em substituição à estrutura provisória erguida, em julho do ano passado, para solucionar de forma emergencial a interrupção do abastecimento de água nas zonas norte e leste da cidade.

A estrutura havia sido danificada em junho de 2014 após uma balsa colidir com pilares de sustentação da adutora. Por determinação do governador José Melo e, em conjunto com a Prefeitura de Manaus, foi realizada uma obra emergencial para regularizar o abastecimento logo após o acidente e, em dezembro do ano passado, a estrutura definitiva entrou em funcionamento.

“O novo projeto contemplou um vão maior porque no projeto original o vão que existia era de 20 metros, e foi introduzida uma viga metálica para um vão de 40 metros, que foi a solução para executar em menor tempo a obra da primeira etapa que recuperou a adutora de água bruta. Já na segunda etapa foi liberada a ponte para o tráfego de carros e caminhões. Todas as obras de infraestrutura e parte elétrica foram recuperadas e, com isso, o sistema opera normalmente e sem interrupções”, explicou o coordenador do Proama, Evandro de Lima.

A obra de recuperação definitiva transcorreu sem prejuízos ao abastecimento, que atualmente alcança cerca de 518 mil moradores das zonas norte e leste de Manaus. O sistema do Proama consiste na captação de água para a estação de tratamento, de onde, em seguida, é transferida para os cinco reservatórios de 5.000 m3 existentes nos bairros considerados ‘macro setores’ do complexo, como Tancredo Neves, Jorge Teixeira, Núcleo 23 da Cidade Nova, Nova Floresta e Mutirão. Desses reservatórios, a distribuição de água alcança 44 bairros.

Segundo o diretor-executivo do consórcio Proama, Sérgio Ramos Elias, o abastecimento na maior área da cidade está funcionando normalmente. “Assim que terminaram as obras na estação de captação, voltamos com a Manaus Ambiental e a Cosama para fazer as obras necessárias para que o sistema ficasse completo e, hoje, podemos dizer que 95% dos moradores da zona leste estão com o abastecimento de água normalizado, assim como de parte da zona norte que o Proama atende também”.

Satisfação – A dona de casa, Elionete Ferreira, 50, é moradora do bairro São José I e comenta que o fornecimento de água está funcionando normalmente na sua residência. “Quando teve o problema do acidente ficou muito ruim porque chegamos a passar três dias sem água em casa. Daí ajeitaram e, hoje, posso fazer minhas coisas tranquilamente cuidar melhor da minha família. Há água suficiente para lavar louça, tomar banho e lavar roupa”.