Governo do Amazonas e Faea distribuem cestas básicas a produtores rurais em Caramuri

Nesta sexta feira (16/07), o Governo do Amazonas, por meio de parceria entre a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), Fundo de Promoção Social (FPS), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), realizou a última entrega do Agro Fraterno, na sede da Associação Comunitária Agrícola da comunidade São Francisco do Caramuri, zona rural de Manaus.

As cestas básicas atenderam aos produtores rurais cadastrados, que sofreram perdas com a enchente histórica que atingiu o estado e a pandemia da Covid-19, das comunidades Santa Luzia do Tiririca, São Francisco do Caramuri, Nova Esperança do Paraná do Tiago, Nova Vida e Monte Sinai.

Essa parceria busca dar um apoio para os produtores e a iniciativa beneficiou quatro municípios: Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Autazes e a zona rural de Manaus. O representante da Sepror, Luís Otávio, fez um balanço sobre a ação.

“O resultado foi excelente, foram distribuídas, ao todo, 4 mil cestas básicas que beneficiaram diversas comunidades afetadas pela pandemia e a enchente histórica que afetou nosso estado. Foi uma ação que obteve ótima receptividade e levamos um alento para essas pessoas que tanto precisam”, relatou Luís.

Para Breno Sá, produtor da região, toda ajuda é bem-vinda, ainda mais em momentos de dificuldade como os dos últimos dois anos.

“Eu sou agricultor, uma ajuda dessas é muito importante, porque nossa renda tem sido afetada e não temos um emprego fixo, por isso toda a ajuda que vem é bem-vinda, essa cesta chega em uma boa hora”, disse Breno.

Os produtores receberam as cestas no porto da comunidade, após preencherem o cadastro. O presidente da Associação Comunitária Agrícola São Francisco do Caramuri, Daniel Silva, destacou que iniciativas como esta vão colaborar para que os produtores mantenham a confiança mesmo em dias difíceis.

“Este é um evento histórico, tanto para nossa comunidade, como para as comunidades vizinhas, pois, todos dependemos do agro e com a pandemia e a cheia, esses produtores se encontravam em situação de vulnerabilidade e essas cestas vão ajudar muito”, finalizou Daniel.

FOTO: Djalma Júnior/Sepror