O Governo do Amazonas entregou à Casa Civil do Palácio do Planalto projeto para conclusão da BR-319, especificamente do chamado Trecho do Meio, do km 177,8 ao km 655,7, que ainda não foi pavimentado. Nesta quarta-feira (19/06), o vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, teve audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Henrique Canuto, quando entregou cópia do Projeto e reforçou a importância da rodovia para o Estado.

O ministro elogiou a agilidade do Governo do Estado, na elaboração do Projeto. “Parabéns pela agilidade e a entrega no tempo previsto para que seja analisado e incluído no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA). Sabemos da importância da estrada”.

A rodovia foi inaugurada em 1976 e nas últimas décadas se tornou intransitável devido à falta de manutenção. Na última década, teve parte reconstruída e recapeada. “Concluir a BR-319 significa integrar o Amazonas ao restante do País. E sem integração, não há desenvolvimento. Pela estrada, poderemos ampliar o intercâmbio comercial e abrir mercados para nossas potencialidades regionais”, destaca o vice-governador.

Carlos Almeida, que esteve acompanhado do presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), deputado Josué Neto, explica que o projeto entregue ao governo federal, para que seja incluído no PRDA, foi realizado por um grupo multi-técnico. O trabalho reuniu secretários de Produção Rural (Sepror), de Meio Ambiente (Sema), Infraestrutura (Seinfra) e de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplan-CTI).

O planejamento para inclusão do Projeto para conclusão da BR-319 ao PRDA, que fará parte do Plano Plurianual (PPA) 2020-2023 da União, iniciou no final de maio, logo após o vice-governador conversar com o ministro Canuto durante reunião ordinária do Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). Na ocasião, Carlos Almeida discutiu as vantagens de se incluir o projeto no PRDA, que a inclusão abre novas frentes de financiamento do projeto, além do Orçamento da União.

Entrave ambiental – No início deste ano, o Governo Federal divulgou a relação de obras que devem receber recursos neste ano, e a BR-319 não estava incluída. Nas oportunidades em que esteve em Brasília, o governo Wilson Lima tem defendido a conclusão da obra. Além de não estar no Orçamento 2019 da União, a obra esbarra, há anos, no licenciamento ambiental.

O vice-governador do Amazonas afirma que o Estado tem todo o interesse em que a BR seja reaberta com as condicionantes ambientais necessárias. “O projeto do governador Wilson Lima é buscar alternativas econômicas para o Amazonas, mas por intermédio de projetos sustentáveis. Com a BR-319 operando plenamente, teremos maior facilidade em atrair investimentos, desenvolver nossas potencialidades em harmonia com a floresta”, destaca.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, explicou que a estrada já tem unidades de conservação ao longo de seu trajeto (9 estaduais e 11 federais), mas é preciso investir, por exemplo, na atualização dos planos de gestão de cada. “Também precisaremos de recursos para a implantação dos portais e pontos de fiscalização na BR, esses últimos nos ramais e rios, além de recursos para o fortalecermos do Batalhão Ambiental”, destaca Taveira.

FOTO: HUDSON BRAGA/ASSESSORIA DA VICE-GOVERNADORIA E CASA CIVIL