Execução de R$ 47,3 milhões e investimento de R$ 40,3 milhões para o financiamento de 281 projetos de pesquisa científica e tecnológica. Pagamento de mais de 24 mil bolsas, além de oito projetos de subvenção econômica. Esses são alguns dos números de desempenho da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em 2018. Nesse ano, a receita da Instituição totalizou R$ 112,3 milhões.

Vale lembrar que a receita da Fundação é composta por: 1% da receita tributária líquida do Estado, como determina a Constituição estadual; 20% dos royalties gerados pela exploração do petróleo e gás, recursos hídricos e outros minerais no Estado, de forma a complementar os recursos recebidos do Tesouro Estadual; além de recursos provenientes de outras fontes, como convênios.

Todo esse apoio do governo Amazonino Mendes ao fomento da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) se deu de forma direta (institucionalmente) e indireta (recursos a pesquisadores). Tal política abrangeu dezenas de instituições públicas e privadas, entre elas a Universidade Federal (Ufam), Universidade do Estado (UEA) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Áreas de atuação – O Fomento à Formação e Capacitação de Recursos Humanos para a Ciência, Tecnologia e Inovação financiou 2.634 bolsas, um total de R$ 22,5 milhões, a estudantes nesse ano, desde o Ensino Fundamental até os grandes níveis de especialização – mestrado e doutorado. Na promoção de Intercâmbio e Cooperação Interinstitucional, Nacional e Internacional, o investimento foi de R$ 1,6 milhão.

No apoio a Projetos de Ciência, Tecnologia e Inovação em Instituições Públicas e Privadas no Setor Produtivo, a Fapeam custeou projetos de apoio à empresas juniores, fomentou projetos em saúde, investiu na atração de recursos humanos altamente qualificados, além de apoiar o desenvolvimento econômico, especificamente por intermédio do Programa Amazonas Estratégico.

Segundo o Relatório Governamental 2018, a Instituição também dedicou recursos para a modernização de CT&I, com o objetivo de estimular a adequação e modernização da infraestrutura das instituições de ensino e pesquisa. A Fapeam também se dedicou à difusão da CT&I, com realização da Semana Nacional de CT&I, do Prêmio de Jornalismo Científico. Também esteve nas universidades divulgando seu trabalho e investiu em comunicação científica e na publicação de produtos de difusão científica.

FOTO: ARQUIVO/SECOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here