O GuardiAM 24 Horas recebeu, nesta segunda-feira (26/11), uma equipe de oito integrantes da consultoria internacional Giuliani Security & Safety (GSS). Na ocasião, autoridades de segurança pública palestraram sobre o combate à criminalidade e ao tráfico de drogas para a equipe da consultoria norte-americana, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na zona sul de Manaus.

De acordo com o secretário extraordinário de Estado, coronel da Polícia Militar Walter Cruz, que coordena o GuardiAM 24 Horas, a equipe norte-americana vai analisar o combate à criminalidade nas fronteiras, que é uma das fases mais importantes do Programa. Segundo Cruz, as palestras mostraram o trabalho que as autoridades de Segurança Pública do Amazonas realizam nas fronteiras. “A partir daí, a equipe da GSS vai traçar um diagnóstico daquilo que a consultoria pode auxiliar para que possamos reforçar o enfrentamento contra o narcotráfico”, afirmou.

De acordo com o tenente-coronel Almir Cavalcante, líder do time Fronteiras e Divisas do GuardiAM 24 Horas, as apresentações traçaram um panorama da realidade da região para a equipe norte-americana. “Essas apresentações para a GSS servem para que a equipe tenha uma ideia da nossa problemática”, afirmou Cavalcante, acrescentando que a equipe da consultoria segue para as fronteiras nesta terça-feira (27) para realizar o diagnóstico da região.

O coronel da Polícia Militar Gilberto Gouvêa, titular da Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada (Seagi), apontou que as palestras estão sendo ministradas por especialistas em Segurança Pública, especificamente, na área de tráfico de drogas nas fronteiras. “Tenho certeza que as apresentações vão balizar a análise que a equipe da GSS vai fazer. Unindo a visão que eles têm com as informações que nós já temos, eles vão ter condições de produzir um relatório melhor e fazer sugestões de melhor qualidade”, afirmou.

Desafio – Segundo o coronel da Polícia Militar Amadeu Soares, titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o controle das fronteiras do Estado é o maior desafio para o sistema de segurança pública no Estado. De acordo com Soares, o aprimoramento do controle nas fronteiras vai representar um ganho na atuação da Segurança Pública interna no Amazonas. “É pelas nossas fronteiras que entram armas e drogas. O Amazonas não é só corredor de passagem (de drogas), o Estado e o Brasil viraram um grande consumidor de entorpecente e de armas”, afirmou.

Assistindo às palestras, estiveram presentes o diretor executivo do escritório internacional da GSS, John Huvane, que é chefe de operações da consultoria; Kellen Dunning, diretora de operações da GSS para a América Latina; além de seis técnicos da consultoria. A empresa foi contratada para aprimorar as ações de combate à criminalidade no Estado, em abril deste ano, na gestão do governador Amazonino Mendes.

Palestras – A primeira palestra foi ministrada pelo delegado federal Mauro Spósito, abordando a causa da criminalidade nas fronteiras do Amazonas. De acordo com o delegado, o Amazonas tem 3,2 mil quilômetros de fronteiras com a Colômbia e Peru, que são os dois principais países produtores de droga do mundo, um desafio para o combate ao tráfico internacional de drogas. “Espero que o Programa (GuardiAM 24 horas) venha contribuir para as forças de segurança para combater os nossos problemas”, afirmou.

De acordo com o delegado federal Sérgio Fontes, que foi o segundo palestrante do dia, o enfrentamento ao narcotráfico está relacionado à presença de facções criminosas que possuem contato com os produtores dos derivados da cocaína e levam violência às regiões de fronteiras.

Fontes afirmou que as facções criminosas são o objeto de atuação intensa da Polícia Federal. Segundo o delegado federal, o GuardiAM 24 horas representa a expectativa de aumentar a política de controle de fronteiras. “É importante não deixar a droga entrar no Brasil, porque os entorpecentes capitalizam o crime organizado e aumentam a violência, como ocorre com a pirataria na região do Rio Solimões próximo a Coari e Tefé”, afirmou Sérgio, acrescentando que a reversão da realidade dessas cidades depende de uma política governamental dedicada.

No fim da manhã desta segunda-feira (26/11), a equipe da GSS e do GuardiAM 24 Horas seguiu para o Comando Militar da Amazônia (CMA), onde foi realizada a palestra sobre o papel do Exército Brasileiro nos crimes transfronteiriços na Amazônia.

FOTOS: BRUNO ZANARDO/SECOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here