O GuardiAM 24h, coordenado pelo secretário de Estado extraordinário, coronel Walter Cruz, tem como principal missão a realização de projetos de combate à criminalidade por meio de três eixos centrais de atuação: Segurança Pública, Presídios e Fronteiras. Dentre os órgãos que integram o eixo de Segurança Pública do GuardiAM 24h, está o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), que tem a finalidade de instruir o processo criminal para a elucidação de delitos e contravenções penais mediante os serviços de identificação, conforme explicou a perita criminal Sheila Maia.

O DPTC é composto por três institutos que atuam em conjunto na produção de provas e na contribuição para a resolução de crimes, bem como o registro das informações da população. O Instituto Médico Legal (IML) tem a competência de realizar autópsias, exumação, ou seja, desenterramento de cadáveres para análise de crimes não solucionados e exames de corpo de delito. O Instituto de Identificação (II) é responsável pelos prontuários onde consta o registro da identificação civil e criminal de todos os residentes do Estado do Amazonas. O Instituto de Criminalística (IC) tem a atribuição de fornecer laudos técnicos, por meio da identificação de veículos e vítimas em acidente de trânsitos, perícia de danos em patrimônios que envolve o setor de engenharia legal que verifica as causas de incêndios e desabamentos e perícia de dano à vida em que se apura a causa de mortes por homicídios e suicídios.

De acordo com a perita criminal Sheila Maia, a atuação do DPTC é fundamental para a diminuição da criminalidade, pois é por meio dele que são geradas as provas materiais quando não há testemunhas em uma ocorrência criminal. “Ao chegar ao local de um crime, o perito criminal pode fazer a coleta dos vestígios que ele detectar em objetos utilizados pelas pessoas que estiveram presentes na ocasião, como copos onde as digitais e salivas podem ser constatadas. Ao comparar o perfil genético coletado com o perfil genético dos suspeitos do crime, faz-se a comparação com o material biológico e, se houver coincidência nos resultados, o suspeito deverá dar explicações sobre o que estava fazendo no local do crime, o que contribui com mais precisão à justiça na celeridade dos julgamentos e na solução dos crimes”, explica a perita.

GuardiAM 24h – O secretário de Estado extraordinário, coronel Walter Cruz, afirma que apenas 10% dos crimes são elucidados pela perícia criminal e, por conta disso, o GuardiAM 24h vai dar suporte na execução de projetos voltados para o DPTC. “A maior parte dos homicídios cometidos no nosso Estado ocorre em razão do tráfico de drogas que desencadeia uma série de outros delitos como roubo de armas e furtos. As ações integradas com a cúpula do sistema de Segurança Pública serão capazes de contribuir com a ação da Polícia Técnica e diminuir a criminalidade no Amazonas”, finaliza Cruz.

FOTO: DIVULGAÇÃO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here