Haddad afirma que está aberto a rediscutir “equívocos do PT” e tomar novos rumos

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o candidato à presidência Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira (15) que está aberto a rediscutir os equívocos dos governos do PT e tomar novos rumos.

Segundo o presidenciável, houve erros, mas que o intuito agora é recuperar um projeto de inclusão democrático com desenvolvimento. Na coletiva concedida na parte da manhã, em um hotel em São Paulo, Haddad disse que pretende fazer um grande arco de alianças para evitar retrocessos democráticos e ressaltou que o caminho a ser seguido é o do diálogo.

O petista considera o nome do professor e filósofo Mário Sérgio Cortella para ocupar o ministério da Educação, a quem se referiu como um amigo. Segundo Haddad, em seu eventual governo, será montada uma equipe com os melhores brasileiros para superar a crise do país.

No Twitter, o candidato disse que trabalho e educação são saídas para recuperar a economia. Além disso, ressaltou que a violência, a liberação do porte de arma e o extermínio de pessoas que pensam diferente “não levarão os brasileiros a lugar algum”.

O petista também não deixou de provocar Bolsonaro na rede social, postando um vídeo de uma entrevista à GloboNews com legenda “entenda porque Bolsonaro não quer debater comigo”. No vídeo, o militar tem dificuldade para responder a maioria das questões.

Reportagem, Cintia Moreira

#Eleições2018