O candidato à presidência pelo PT, Fernando Haddad, disse, em ato em Manaus, no Amazonas, que é melhor Bolsonaro “já ir se acostumando com Haddad”, em referência à frase “é melhor Jair se acostumando” usada pelos eleitores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Em crítica a Bolsonaro, que afirmou não aceitar outro resultado que não sua eleição, Haddad afirmou que os problemas no Brasil começaram quando Aécio Neves, candidato pelo PSDB em 2014, não respeitou o resultado das urnas.

“Será que ele vai repetir o erro do Aécio? Vamos aprender com a história. O Aécio desrespeitou o resultado eleitoral e jogou o Brasil na crise. O Bolsonaro não pode repetir o Aécio.”

Haddad afirmou que a estratégia para enfrentar Bolsonaro é continuar fazendo propostas. “Ele não tem proposta. A única concreta que ele fez foi acabar com o 13º [salário]”, afirmou.

Ressaltando seu crescimento nas pesquisas, convocou seus apoiadores a tirar “uma horinha” do dia para conquistar os eleitores indecisos nesta última semana de campanha.

O candidato do PT falou ainda sobre o papel de sua vice na chapa, Manuela D’Ávila (PC do B), que não o acompanhou a Manaus, em sua gestão. “Manuela vai ter papel não só como vice, mas como agente política importante. Ela dialoga com toda a juventude brasileira e queremos que o protagonismo da juventude e da mulher jovem estejam presentes.”

Haddad disse que, caso eleito, irá fixar uma meta para a presença de mulheres no governo. “Entendemos que isso faz parte da democracia e a mulher tem muito pouca participação no Brasil em comparação com países desenvolvidos, e mesmo latinoamericanos.”

Num calor de 34ºC, falou ainda de temas regionais, defendendo o fortalecimento da Zona Franca de Manaus, a retomada de programas sociais no Amazonas e a pavimentação da rodovia BR-319.

“Eu quero usar parte das reservas internacionais para trazer empregos para Manaus”, afirmou. Entre suas propostas está conceder incentivos para a instalação de empresas ligadas ao setor energético, com foco nas tecnologias sustentáveis.

Também se comprometeu a reconstruir a rodovia BR-319 -a falta de licença ambiental vem impedindo a pavimentação do chamado “trecho do meio”.

“Eu vou assumir o compromisso de fazer a BR-319. Vamos ter que insistir nisso, com todo o respeito à questão ambiental, mas não dá pra ser do jeito que está sendo. Está muito atrasada a questão do licenciamento. Recurso não vai faltar para concluir. A 319 volta pro PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) assim que nós assumirmos o governo.” (Monica Prestes), com informações do Minuto ao Minuto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here