O ex-prefeito paulista e candidato à Presidência derrotado, Fernando Haddad (PT), foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar R$ 200 mil reais de indenização ao promotor Marcelo Milani. A decisão ainda cabe recurso.

Como explica o ‘G1’, Milani, que é promotor do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), processou Haddad após ser acusado por ele de ter pedido R$ 1 milhão de propina para não mover uma ação civil pública sobre a construção do estádio do Corinthians. O processo detalha que a declaração de Haddad foi feita em entrevista a uma revista em 2017.

A acusação de corrupção foi investigada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e pela Corregedoria do MP. O ex-prefeito não entregou provas.

Em nota, a defesa do petista afirmou que ele ainda não foi intimado, mas entrará com recurso.

O juiz Fabio Fresca, da 4ª Vara Cível, entendeu que os fatos são “infundados” e até “criminosos”.

“Não há dúvidas de que o comportamento do requerido teve o condão de caracterizar dano moral, pois, impôs ao autor passar por situações vexatórias e delicadas, nos âmbitos profissional, familiar e social, tendo que enfrentar o descrédito da sociedade e de seus pares diante da séria acusação de corrupção passiva e prevaricação”, escreveu.

De acordo com a assessoria de Haddad, “enquanto Prefeito de São Paulo, [a atuação dele] se restringiu a comunicar supostas irregularidades às autoridades cabíveis, sob pena de ser conivente com a situação”.

“A oitiva de testemunhas que presenciaram os fatos e que podem auxiliar no esclarecimento da verdade, como o ministro Alexandre Moraes e o desembargador Roberto Porto, foi negada pelo juiz, embora expressamente solicitada em mais de uma ocasião pela defesa”, diz nota. Com informações do Minuto ao Minuto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here