Com estoque de sangue bem abaixo da média, a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Fundação Hemoam) convoca a população para doação com urgência. A coleta dura entre cinco e dez minutos e todo o processo, desde a entrada até a saída da unidade, é de apenas uma hora.

Para atender tanto a rede pública quanto a privada, a média ideal de doadores por dia é de 200 a 250, porém, na Semana da Pátria, oscilou entre 120 a 150 e agora está em 190. “Estamos com estoque baixo em todos os tipos de sangue. Precisamos mobilizar toda a população para vir doar. É rápido, não custa nada, não dói e salva muitas vidas”, afirma a chefe do Departamento do Ciclo do Sangue, Socorro Viga.

Em média são retirados entre 390 e 460 ml. O sangue doado é fracionado entre plaquetas, concentrado de hemácias, plasma fresco congelado e crioprecipitado, por isso uma bolsa de sangue salva a vida de até quatro pacientes.

Salvar vidas – Doador desde 2005, Hélio Lopes conta que sua motivação é ajudar o próximo. “Sou doador há quase 13 anos. Eu e minha esposa doamos regularmente; eu, a cada três meses, e ela, de quatro em quatro meses. O Hemoam sempre fazia aquelas propagandas para atrair doadores e isso foi me incentivando. É muito bom saber que meu sangue ajuda outras pessoas”, explica.

Paciente do Hemoam há 11 meses, Sueli de Oliveira entende bem como o ato de doar salva vidas. “Eu tenho leucemia linfoblástica aguda. No tratamento, a gente precisa muito de sangue. Antes, eu tinha uma vida muito agitada, eu trabalhava e não imaginava a importância de doar. Porque quando você doa sangue, esse gesto de amor e de respeito ao próximo, você não está salvando só uma vida, você salva várias vidas. Aqui tem crianças e até bebê de 2 meses precisando de sangue. Fico pensando no desespero das famílias que nem sempre são compatíveis e contam com a doação de outras pessoas. A gente precisa muito dos doadores para seguir o tratamento”, explica.

Quem também viveu na pele a experiência de contar com a solidariedade de heróis anônimos foi Felipe Ferreira, que teve a vida do seu filho salva após receber duas bolsas de sangue tipo O Negativo. “Ele estava entre a vida e a morte. Naquele dia, algo me tocou, porque naquele momento eu quis doar sangue para salvar a vida dele, mas a médica me explicou que o sangue precisava vir do Hemoam, pois passava por todo um processo até chegar ao paciente. Então, naquele momento, eu não pude salvar a vida dele, mas graças a um desconhecido, meu filho recebeu a quantidade necessária e sobreviveu. Ali, eu decidi me tornar um doador também”, relembra.

Requisitos – Para a primeira doação, a pessoa precisa ter entre 18 e 60 anos. Menores de idade de 16 e 17 anos também podem doar, desde que tenham autorização do responsável legal. É preciso estar bem de saúde e não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas anteriores à doação. E não é preciso estar em jejum para doar sangue.

O horário de funcionamento do Hemoam é de segunda-feira a sábado, das 7h às 18h, na avenida Constantino Nery, 4.397, Chapada, zona centro-sul. Já na Maternidade Ana Braga, na alameda Cosme Ferreira, 3.958, Aleixo, zona centro-sul, que também tem um posto de coleta, funciona de segunda a sexta, das 8h às 13h. Mais informações através do telefone (92) 3655-0100.

FOTO: ALFREDO FERNANDES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here