Take a fresh look at your lifestyle.

HPS João Lúcio é destaque no projeto “Lean nas Emergências”

-publicidade-

Projeto do Ministério da Saúde realizado por consultores do Hospital Sírio-Libanês se encerrou nesta quinta-feira (17/12)

O Hospital Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio realizou, nesta quinta-feira (17/12), o encerramento do projeto “Lean nas Emergências” com apresentação de resultados positivos, que foram destaque no Estado, como a redução no tempo de permanência dos pacientes na unidade de saúde em 85%. O projeto utiliza ferramentas para melhorar o fluxo de pacientes nas emergências e evitar superlotação nos hospitais.

“Além das ferramentas implantadas, o projeto “Lean” trouxe a capacidade das pessoas questionarem em fazer, perceberem que tem mil possibilidades de fazerem diferente e fazerem melhor e também a possibilidade de crescer”, disse o secretário executivo de Controle Interno, Silvio Romano.

O “Lean nas Emergências” é um projeto do Ministério da Saúde e foi implementado nos HPS João Lúcio, Platão Araújo e 28 de agosto por consultores do Hospital Sírio-Libanês. A reorganização da rede de urgência e emergência também é uma das ações trabalhadas pelo Programa “Saúde Amazonas”, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM).

“Acima de tudo, talvez o que valha mais a pena é a questão de acreditarem que estamos vivendo um novo tempo e que nós podemos fazer e está nas nossas mãos a possibilidade de fazer a saúde que tanto sonhamos”, destacou o secretário executivo.

Com a redução de tempo de permanência do paciente no HPS João Lúcio, de 24 horas (1453 minutos) para pouco mais de 3 horas (212 minutos), o médico consultor do Sírio Libanês, Leonardo Leite, elogiou a equipe de profissionais da unidade de saúde pela aplicação do Lean nas Emergências.

“O João Lúcio foi um destaque dentro do projeto. O tempo médio de permanência dos pacientes caiu bastante, agregou muito valor à condução do trabalho dos profissionais desse grande “Gigante da Zona Leste”. Essa unidade, hoje, é uma unidade renovada”, afirmou o médico.

Para o consultor, a população é a principal beneficiada com a implantação das ferramentas do projeto. “A população vindo, necessitando de atendimento dentro do João Lúcio, vai ter um atendimento de muito mais qualidade, um atendimento muito mais assertivo por parte da equipe técnica, porque hoje eles trabalham com indicadores, hoje eles trabalham com alta gestão e isso é importante dentro da saúde”, ressaltou.

Após o encerramento das atividades presenciais dos consultores, o projeto permanece com o acompanhamento remoto dos resultados por mais 12 meses. “Esse hospital vai crescer exponencialmente, com a certeza de que a cada dia o João Lúcio vai melhorar e vai entregar à população, aos usuários e ao SUS, ao Estado do Amazonas, uma realidade diferente”, enfatizou Leonardo Leite.

FOTO: Divulgação/SES-AM

-publicidade-