Take a fresh look at your lifestyle.

Idoso morre após tomar vacina contra a Covid-19 em Manaus

-publicidade-

Prefeitura notifica a ocorrência de evento adverso grave pós-vacinação

A Prefeitura de Manaus, por meio do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), notificou na manhã deste sábado, 30/1, ao Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie), órgão vinculado à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), a ocorrência de evento adverso grave (óbito) pós-vacinação contra a Covid-19, em um idoso de 83 anos que recebeu dose do imunizante AstraZeneca na última sexta-feira, 29/1.

A notificação segue o Protocolo de Eventos Adversos Pós-Vacinal contra o vírus SARS-CoV-2, elaborado pelo Ministério da Saúde, que contém orientações e diretrizes em farmacovigilância para serem seguidas por todo o sistema de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o documento, cabe aos municípios a responsabilidade de realizar a identificação, notificação e investigação preliminar do Evento Adverso Pós-Vacinação (EAPV) em conjunto com o Estado.

O comunicado do óbito foi feito pela família do idoso ao Distrito de Saúde (Disa) Norte do município e imediatamente informado ao Crie que, juntamente com a equipe do Disa Norte, do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e do Centro de Emissão de Declaração de Óbito da Semsa, deu início aos procedimentos de notificação e coleta de dados epidemiológicos e material biológico para exames e análises.

A chefe da Divisão de Imunizações da Semsa, Isabel Hernandes, informa que a investigação do caso, conforme o protocolo nacional, será conduzida pelo Crie. Ela destaca que a notificação de qualquer evento adverso após a vacinação é medida obrigatória para todos os tipos de vacina e que não significa a existência relação de causa e efeito. “Não podemos atribuir nenhum evento adverso à vacina até que a investigação do caso esteja concluída. A notificação é feita para acompanhamento e como estratégia para avaliar a segurança das vacinas”, afirma.

A remessa de vacinas da AstraZeneca/Oxford foi enviada ao Amazonas pelo Ministério da Saúde, sendo repassado ao município de Manaus um total 74.140 doses, das quais 50.398 destinadas especificamente à vacinação de 100% dos idosos de 80 anos e mais, 100% dos idosos de 75 a 79 anos e 37% dos idosos de 70 a 74 anos (acamados, os portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica –DPOC-, Insuficiência Renal Crônica, diabetes -insulina dependente- e os que têm obesidade -IMC >40-, além dos transplantados e imunossuprimidos).

Texto – Andréa Arruda / Semsa

-publicidade-