Take a fresh look at your lifestyle.

IFAM NA BATALHA CONTRA O AEDES AEGYPTI

-publicidade-

FOTO: ASSESSORIA IFAM

Com o lema “Um mosquito não é mais forte que um país inteiro”, o Instituto Federal de Educação do Amazonas (IFAM) mobilizou servidores e estudantes na Reitoria e nos campi da capital e interior em ações de combate ao mosquito que transmite doenças como: zika, dengue e chicungunya, nesta sexta-feira, 19 de fevereiro.

Em Manaus, a Reitoria do IFAM em parceria com a Escola Municipal Sagrado Coração de Jesus levou a assistente social Simone Tavares e a psicóloga Manoela de Queiroz para abordar o tema de forma lúdica com crianças na faixa dos 5 aos 11 anos.

“A importância de envolver a criança nessa campanha está no poder de cognição desta faixa etária. É nela que se desenvolvem as representações sociais acerca da sociedade em que vive. A criança absorve os diversos conceitos e sua capacidade de propagação ganha maior facilidade, daí a importância das crianças como agentes de disseminação da campanha” citou Manuela.

Segundo o reitor do IFAM, professor Antonio Venâncio Castelo Branco, o objetivo é vencer esta batalha envolvendo alunos, servidores e comunidade nas ações de prevenção e de combate.

“Queremos que a comunidade acadêmica seja multiplicadora das informações e, principalmente, combatente em suas casas e na vizinhança, não permitindo que a água acumule e torne-se um foco para a proliferação do Aedes Aegypti”, ressaltou Castelo Branco.

Panfletagem

Materiais impressos com dicas de como acabar com o foco do mosquito e não deixar água empossar foram distribuídos pelos servidores e alunos do campus Manaus Distrito Industrial no nas Avenidas Ferreira Pena e Constantino Nery, durante a manhã desta sexta-feira, com a ajuda de agentes da ManausTrans. Além disso, visitas às residências dos moradores do entorno da Reitoria foram realizadas com o objetivo de multiplicar a informação e fortalecer a campanha de combate.

Para as alunas Jéssica Souza e Kelly Cristina do 2º ano do curso de Eletrônica, muitas pessoas ainda não têm consciência dos perigos que o mosquito pode trazer. “Eu me sinto muito bem em poder ajudar nessa ação, assim, enquanto estamos divulgando para a comunidade passamos a aprender mais sobre o assunto” destacou Kelly. Já a servidora Nara Bezerra, assistente em administração

-publicidade-