As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Incubadora de Empresas do Inpa recebe cinco novos empreendimentos

Os novos empreendimentos foram selecionados no processo seletivo nº001/2015. As empresas ficarão incubadas por um prazo de até três anos, podendo ser renovado por mais um ano
Por Luciete Pedrosa – Ascom Inpa
Foto: Cimone Barros

A Incubadora de Empresas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) receberá, na próxima terça-feira (31), cinco novas empresas que vão iniciar seus negócios na criação de novos serviços e produtos tecnológicos. As empresas selecionadas ficarão incubadas por um prazo de até três anos, podendo ser renovado por mais um ano. As novas incubadas receberão os contratos de incubação e as chaves das salas que sediarão seus empreendimentos.

Os novos empreendimentos foram selecionados no processo seletivo nº001/2015. Os critérios para a escolha das novas incubadas foram a capacidade técnica, perfil empreendedor, grau de inovação do produto ou serviço, propriedade intelectual, viabilidade financeira, rentabilidade, relacionamento e comunicação, potencial de mercado, viabilidade técnica e parcerias.

Vinculada à Coordenação de Extensão Tecnológica e Inovação (Ceti) do Inpa, a Incubadora de Empresas é um local especialmente criado para abrigar empresas iniciantes, oferecendo uma estrutura para estimular, acompanhar e favorecer o desenvolvimento de novos negócios oriundos de resultados de pesquisa para atividades produtivas.

As novas empresas que ficarão incubadas no Inpa, na modalidade residente, são: Original Trade Consultoria Empresarial Ltda, cujo produto a ser desenvolvido são insumos para cosméticos, e Manahh Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios Ltda, que atuará na produção da sopa creme instantânea de Piranha (tecnologia desenvolvida no Inpa e licenciada para a empresa). Outra empresa, a Peixe Folha da Amazônia atuará na comercialização e exportação de peixes artesanais, e a Da Flora produzirá adubos orgânicos. A quinta empresa é a K-MAT Soluções Hidro Sanitárias, com sede em Santarém (PA), que será incubada na modalidade não-residente (à distância), e tem como produto o Biodigestor para embarcações navais.

Conforme a gerente da Incubadora, Larisse Drumond, o “Encontro de Boas-Vindas” busca promover uma reunião de ambientação entre os novos empreendimentos, a equipe técnica da Incubadora e os Coordenadores do Inpa que integram a Comissão Técnica da Incubadora, e a Diretoria do Instituto. No evento, a Diretoria irá entregar aos empresários as salas onde os empreendedores atuarão para desenvolver seus negócios e cada um dos empreendimentos fará um pitch, uma apresentação clara e concisa sobre seus produtos, processos e objetivos.

O diretor do Inpa, Luiz Renato de França, e o vice-diretor, Luiz Antonio de Oliveira, estarão presentes no evento, assim como os coordenadores que integram a comissão técnica da Incubadora, além dos membros das instituições externas que formam o Conselho Consultivo da Incubadora, como a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (Cide), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e o Serviço de apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Criada em 2002, já passaram pela Incubadora de Empresas do Inpa sete empreendimentos. Atualmente, a empresa Amazônia Socioambiental está em processo de incubação no Inpa.

De acordo com a coordenadora a Ceti, Noélia Falcão, a finalidade da Incubadora do Inpa é contribuir para a criação, desenvolvimento e maturidade de empreendimentos, focando os eixos de empreendedorismo, tecnologia, capital, mercado e gestão, de modo a assegurar o seu fortalecimento e competitividade. O foco de atuação da incubadora são negócios voltados à Biodiversidade, Dinâmica Ambiental, Tecnologia e Inovação, e Sociedade, Ambiente e Saúde.

As empresas podem ser incubadas no Inpa em duas modalidades: no modo residente, a empresa incubada receberá espaço físico compartilhado com outros empreendimentos no prédio da incubadora e serviços por ela oferecidos.

Já na modalidade não-residente, o empreendimento tem o suporte da Incubadora de Empresas do Inpa, mas não se encontra fisicamente instalado nela. A empresa participa e usufrui, à distância, dos serviços e apoios oferecidos pela incubadora.