Take a fresh look at your lifestyle.

Indústrias serão mobilizadas no combate ao Aedes

-publicidade-

Trabalhadores e representantes das empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) discutiram nesta quinta-feira (3), no auditório do SENAI, na Bola da Suframa, possíveis formas de atuação do segmento no combate ao mosquito Aedes aegypti na cidade. A ação foi realizada em conjunto pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM), Câmara Nipo Brasileira e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Para a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa, Angélica Marroquino, o apoio dos representantes da indústria é de extrema importância para o combate ao mosquito. “É preciso que a indústria faça a sua parte. A primeira coisa é cuidar da sua estrutura física: olhar os banheiros, ralos, calhas, caixas d’água, bebedouros, depósitos, sucata, laje, telhas, etc. A segunda é que ela mobilize os trabalhadores para que estes, por sua vez, sensibilizem seus familiares, amigos, vizinhos”, disse Angélica.

A Semsa está implantando brigadas contra o Aedes nos órgãos públicos e empresas privadas. As equipes de saúde vão até os locais, a partir de agendamento, formam outros multiplicadores, capacitam o pessoal e, a partir daí, é criada uma brigada específica, com termo de compromisso, onde, a empresa se responsabiliza em dar andamento no processo a cada sete dias, com penalidades, caso seja detectado focos de mosquitos.

Para o diretor executivo do CIEAM, Ronaldo Mota, o serviço de brigadas de combate será de grande importância para a indústria, principalmente pelo fato desses locais concentrarem um grande número de pessoas durante todo o dia, horário atrativo para os mosquitos transmissores.

“Tentaremos trabalhar com as equipes das Brigadas de Incêndios já existentes nas próprias empresas, pois assim facilita o treinamento em combate ao mosquito, que no momento nos preocupa, com um grande número de afastamentos do emprego”, disse Ronaldo.

As empresas podem solicitar a capacitação no combate ao Aedes pelo Disk Saúde, no número 0800-2808280 ou pelo e-mail saú[email protected] e agendar junto com a equipe da Semsa a melhor ocasião para realização do treinamento.

SESI faz mobilização nas escolas

O Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) mobilizou, nesta sexta-feira (4), cerca de 3 mil alunos de suas escolas de Manaus e do interior do Estado no Dia Nacional de Mobilização das Escolas SESI e SENAI, promovido em todo o Brasil pelo Sistema Indústria. Na programação, as escolas realizaram caminhadas, palestras e oficinas de sensibilização para o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Durante todo o dia, o SESI mobilizou não apenas alunos e seus familiares, mas também a comunidade no entorno das escolas, oferecendo informações relevantes sobre o combate ao mosquito. Na Escola SESI Adalberto Ferreira do Vale, no Adrianópolis, uma caminha de cerca de 30 minutos marcou a mobilização, com a participação de 300 pessoas, entre alunos, pais e professores. Durante a caminhada, que percorreu várias ruas do entorno da escola, os alunos distribuíram panfletos educativos e sensibilizaram os moradores para o combate ao mosquito.

A aluna do 4º ano, Bárbara Figueira, de 9 anos, disse que se os adultos não estão ajudando na prevenção das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, as crianças estão dando exemplo e contribuindo para combater o mosquito, alertando para que as pessoas não deixem água parada dentro das vasilhas de suas residências.

A gerente da Unidade, Sínthia de Lima, disse que a mobilização é uma prática muito importante e que para as crianças nada melhor do que colocar em prática tudo o que aprenderam na sala de aula, através de palestras e debates e vídeos explicativos sobre o vírus da dengue, ressaltando que os alunos construíram cartazes e estão entregando aos moradores do entorno da escola, além de repassar tudo o que aprenderam para os seus familiares.

Ao avaliar o resultado da mobilização, a diretora técnica do SESI Amazonas, Rosana Vasconcelos, disse que as escolas da Rede SESI assumem um importante papel como auxiliares na circulação das informações sobre o mosquito e sua proliferação, e também sobre as doenças – dengue, febre Chikungunya e vírus Zika – e a relação que existe entre elas.

A rede SESI no Amazonas reúne cerca de 5 mil alunos. O SESI é representado por oito escolas – cinco em Manaus, uma em Parintins, uma em Itacoatiara e uma em Iranduba.

-publicidade-