As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Inscrições abertas para vagas remanescentes em cursos de qualificação para mulheres em situação de vulnerabilidade

As candidatas passarão por uma seleção no Centro Estadual de Referência e Atendimento à Mulher (Cream)

Em Manaus, mulheres em situação de vulnerabilidade social ainda podem se cadastrar nas vagas remanescentes de cursos de qualificação profissional oferecidos pelo Governo do Amazonas, através de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). Os cursos são gratuitos e as aulas presenciais já estão acontecendo no Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream), localizado na avenida Presidente Kennedy, 399, Educandos, zona sul, até a segunda quinzena de novembro.

As aulas iniciaram na última segunda-feira (16/09). Ao todo, foram oferecidas 120 vagas para os cursos de maquiagem, tranças e penteados, operador de caixa e libras direcionados à mulheres atendidas no Cream. Agora, as vagas remanescentes são para mulheres com baixa renda e situação de vulnerabilidade social de todas as zonas da cidade.

Vagas – Ainda estão disponíveis 10 vagas para o curso de operadora de caixa e 13 vagas para o curso de tranças e penteados. As interessadas devem ir até o Cream para participar de uma seleção, que irá avaliar se a candidata possui o perfil social.

Políticas de prevenção – De acordo com a titular da Sejusc, Caroline Braz, a proposta é atuar com políticas de promoção de empoderamento e independência financeira feminina com o intuito de evitar novos casos de violência doméstica. De acordo com a secretária, medidas como estas podem transformar a vida de mulheres em situação de vulnerabilidade.

“Essas mulheres saem daqui qualificadas para conseguirem renda e para trabalharem com baixo investimento. Elas não precisam investir tanto na abertura de um negócio. A ideia é realmente impedir e trabalhar na prevenção à violência, trabalhar a independência financeira, a autonomia dessa mulher para que ela melhore a sua própria autoestima e para que essa mulher não seja uma vítima no futuro”, concluiu.

FOTO: Bruno Zanardo/Secom

você pode gostar também