Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Interessados nos ‘Prêmios Literários Cidade de Manaus 2021’ têm até dia 23 de junho para inscrição

A Prefeitura de Manaus alerta para o fim do prazo de inscrição da 10ª edição dos Prêmios Literários Cidade de Manaus 2021, marcado para o dia 23 de junho. A menos de um mês para o encerramento das inscrições, 56 candidatos já garantiram participação no concurso.

A edição de 2021, lançada pelo prefeito David Almeida, por meio do Conselho Municipal de Cultura (Concultura) e apoio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), está com todo o processo on-line, pelo endereço https://concultura.manaus.am.gov.br/premio-literario.

No total, são 14 categorias em abrangência nacional e seis regional, totalizando 20 prêmios nos valores de R$ 5 mil e R$ 3 mil, respectivamente. Em cada uma das categorias, só haverá concurso se inscritos, pelo menos, dois trabalhos concorrentes. A publicação dos vencedores será feita no dia 10 de setembro de 2021, pelo Diário Oficial do Município (DOM) e no endereço eletrônico do Concultura.

O presidente do Concultura, Tenório Telles, destaca que o prêmio é uma ação cultural e social do prefeito David Almeida preocupado em gerar oportunidades aos artistas que têm sofrido fortemente os efeitos da pandemia, atingindo, consequentemente, suas famílias e a produção cultural.

Telles destaca, ainda, a importância dos prêmios literários para o incentivo ao surgimento de novos talentos, citando o maior exemplo da literatura local, o poeta Luiz Bacellar, com sua conhecida obra “Frauta de Barro”, que venceu o prêmio Olavo Bilac, da Prefeitura do Rio de Janeiro, em 1959, que teve como jurados Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade.

Parcial

Pelo balanço parcial de inscritos no concurso, um total de 56 candidatos está concorrendo nas dez categorias literárias em abrangência regional e nacional, totalizando 20 obras literárias vencedoras ao final do certame.

O Estado de São Paulo tem o maior número de participantes com 27,3% de obras inscritas, seguido do Amazonas, com 14,5%, Rio de Janeiro (12,8%), Pernambuco (10,6%), Minas Gerais (8,5), Ceará 6,7% e Santa Catarina (6,4%). Tem também registros de escritores e obras oriundos dos Estados do Amapá, Distrito Federal, Espírito Santo, Paraná e Recife.

Os prêmios nacionais contemplam as seguintes categorias e denominações, conforme o Decreto nº 4.603/19: Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela; Arthur Engrácio, de contos; Violeta Branca Menescal, de poesia; Péricles Moraes, de crônicas; Aldemar Bonates, texto teatral para adultos; Álvaro Braga, de teatro infantil; Samuel Benchimol, ensaio socioeconômico; Mario Ypiranga Monteiro, ensaio sobre tradições populares (folclore); Arthur Reis, ensaio histórico; Luiz Ruas, ensaio sobre literatura (letras); Cosme Alves Neto, ensaio sobre cinema; Áureo Nonato, de memória; Clóvis Barbosa, ao melhor texto de jornalismo literário; e Prêmio Alfredo Fernandes, destinado ao melhor texto de literatura infantil.

Os prêmios regionais contemplam as seguintes categorias e denominações, conforme o Decreto nº 4.603/19: Prêmio Álvaro Maia, destinado ao melhor romance ou novela; Arthur Engrácio, de contos; Violeta Branca Menescal, de poesia; Mario Ypiranga Monteiro, ensaio sobre tradições populares (folclore); Áureo Nonato, de memória; e Prêmio Alfredo Fernandes, destinado ao melhor texto de literatura infantil.

Texto – Cristóvão Nonato / Concultura

Foto: Acervo pessoal

-publicidade-