29.3 C
Manaus
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Iranduba busca padrinhos afetivos para crianças e adolescentes acolhidos

O Juízo de Iranduba, em parceria com o Abrigo Coração do Pai, está intensificando esforços para encontrar padrinhos afetivos para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. O projeto, que visa criar vínculos afetivos duradouros entre as crianças acolhidas e voluntários da comunidade, enfrenta o desafio de encontrar candidatos adequados.

Durante uma palestra ministrada pela juíza Nayara Antunes, titular da 2.ª Vara da Comarca de Iranduba, apenas três pessoas demonstraram interesse em se tornar padrinhos afetivos, um número considerado baixo diante da necessidade do abrigo, que atualmente acolhe mais jovens necessitando desta figura em suas vidas.

O apadrinhamento afetivo, diferentemente do financeiro, enfoca a criação de laços emocionais fortes e constantes. Voluntários com mais de 21 anos podem se candidatar, desde que não estejam envolvidos em processos de adoção. Eles devem estar dispostos a integrar ativamente a vida dessas crianças, compartilhando momentos significativos como fins de semana, férias escolares e datas comemorativas.

A juíza Nayara Antunes destacou a importância do projeto, afirmando que ele permite às crianças vivenciar a dinâmica da vida familiar e cotidiana. A magistrada enfatizou que o apadrinhamento é fundamental para o desenvolvimento emocional dos jovens, moldando suas perspectivas de futuro.

Apesar dos esforços iniciais, a demanda por padrinhos afetivos permanece alta. A juíza expressou esperança de que mais pessoas se sensibilizem com a causa e se juntem ao projeto.

Natália Mano, coordenadora do Abrigo Coração do Pai, reforçou a necessidade urgente de padrinhos afetivos. Atualmente, oito crianças e adolescentes, com idades entre 4 e 13 anos, aguardam por essa figura em suas vidas.

Interessados podem entrar em contato com a instituição pelos telefones (92) 3396-6777 e (92) 99171-7368, ou visitar o abrigo pessoalmente em Iranduba, Amazonas.

spot_img