Janeiro deste ano é o mais quente e seco desde 1917. Índice médio da temperatura é de 36,8 graus

Pela primeira vez, climatologistas admitem que mudanças climáticas globais podem estar por trás dos recordes de calor e da falta de chuva, no janeiro mais quente para muitas regiões desde o início das medições, em 1917. Até agora, o índice médio é de 36,8 graus Celsius, superando o recorde anterior: 36,2 graus, em 2010. Segundo o Climatempo, o mês de fevereiro deverá ser ainda mais quente, devido à pouca nebulosidade e ao aumento da exposição ao sol. Na última segunda-feira, o consumo de energia nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país bateu recorde cerca de 20 minutos antes do corte de luz que atingiu 11 estados, além do Distrito Federal. De acordo com relatório do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a carga recorde ocorreu às 14h32, quando as duas regiões demandaram 51.596 MW (megawatts).

Compartilhe