Jovem acusado de roubar e matar professor de Educação Física é preso

A Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Coari em ação conjunta com policiais militares lotados no município, cumpriu no lugar, na manhã desta quarta-feira (31/10), às 8h, mandado de prisão preventiva por latrocínio em nome de Mariano da Silva Marques, 18, autor da morte do professor de Educação Física Antônio Marcos da Silva Guimarães, que era conhecido como “Márcio”. A vítima tinha 40 anos.

De acordo com o delegado José Afonso Barradas, titular da unidade policial, o crime aconteceu no dia 11 de outubro deste ano, na casa da vítima, localizada no bairro União, naquele município. A ordem judicial em nome do infrator foi expedida no dia 19 de outubro deste ano, pelo juiz Fábio Lopes Alfaia, da 1ª Vara da Comarca de Coari.

“No dia do crime, o infrator, que trabalhava na feira da cidade, estava sem dinheiro para voltar para a casa dele. Então, o professor, que era homossexual, o convidou para ir até a residência dele. No imóvel eles jantaram junto aos parentes do professor. Em seguida foram ao quarto de Antônio, que quis manter relações sexuais com o infrator. Mariano se negou a transar com a vítima. Utilizando uma faca, ele cortou o pescoço do professor e empreendeu fuga do lugar, levando o celular, dinheiro, roupas e o cronômetro usado pelo professor para ministrar aulas”, informou o titular da DIP de Coari.

Vítima – Antônio Marcos da Silva Guimarães, que era conhecido como “Márcio”

Barradas afirmou, ainda, que após o crime, que causou revolta nos populares de Coari, as investigações em torno do caso seguiram em andamento. “Representei à Justiça o pedido de prisão preventiva em nome de Mariano, que foi imediatamente expedido. Ele foi preso na manhã desta quarta-feira (31/10), por volta das 8h, na casa de um parente dele, na rua Francisco Carvalho, bairro Itamarati”, explicou o delegado.

Mariano foi indiciado por latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial, ele será encaminhado à Unidade Prisional de Coari (UPC), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTOS: Divulgação/Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.