As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Juticultores e malvicultores recebem pagamento da subvenção que estava atrasado há três anos

Gov Agricultura

Durante evento em comunidade agrícola, representante da Sepror anuncia pagamento da subvenção que estava há três anos em atraso

O Chefe do Departamento Técnico da Secretaria de Estado de Produção Rural -SEPROR, Eduardo Rizzo, disse que o pagamento concedido em forma de subvenção às família agrícolas que produzem juta e malva no Amazonas será realizado nas próximas semanas. O valor total, que estava em atraso e se refere à safra de 2014-2015, é de R$ 711.844,64.

A informação está publicada na edição desta quinta-feira (20), no Dário Oficial do Estado, por meio da Portaria 142/2018 – GDP/IDAM. Eduardo Rizzo esclareceu que a subvenção corresponde ao valor unitário de R$ 0,40 para cada quilo de juta ou malva que o produtor comercializa durante a safra referida. “O Governo repassa esse valor ao produtor, como uma forma de incentivar a produção e favorecer as famílias”.

Eduardo revelou, ainda, que o pagamento da subvenção estava atraso em 04 safras, totalizando cerca de R$ 5 milhões. “O Governo atual vem fazendo todos os esforços necessários para que posamos pagar todos esses atrasados, se possível ainda este ano”, reforçou.

A informação foi anunciada em primeira mão, ontem, quinta-feira (20), durante o vento Dia de Campo: encontro do setor de fibras do Amazonas, realizado pelo Sebrae no Amazonas, em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea) e outras instituições. O Evento ocorreu na Comunidade Monte Carmelo – Costa do Cabaleana III, pertencente ao município de Manacapuru (cerca de 70 quilômetros Manaus). Na localidade, vivem famílias que há várias décadas e gerações produzem juta e malva.

A diretora-superintendente do Sebrae no Amazonas, Adrianne Gonçalves, disse que o objetivo do Dia de Campo foi reunir o maior número possível de instituições ligadas ao setor agrícola, incluindo o Governo do Estado e Prefeitura de Manacapuru, para que tomem conhecimento sobre as atuais necessidades e demandas dos juticultires e malvicultores. “Nós, do Sebrae, vemos esse segmento, o da juta e malva, como um dos mais importantes para o Amazonas e por isso fixemos o convite para que todos os órgãos se fizessem presente e pudessem ouvir os produtores rurais”.

Durante o evento, após breve apresentação de cada instituição, os produtores expuseram suas demandas para aumentar a produção de juta e malva. Entre os destaques, a necessidade de manter e aumentar a distribuição de sementes, menos burocracia de oferta de crédito e assistência técnica no cultivo.

você pode gostar também