Durante evento em comunidade agrícola, representante da Sepror anuncia pagamento da subvenção que estava há três anos em atraso

O Chefe do Departamento Técnico da Secretaria de Estado de Produção Rural -SEPROR, Eduardo Rizzo, disse que o pagamento concedido em forma de subvenção às família agrícolas que produzem juta e malva no Amazonas será realizado nas próximas semanas. O valor total, que estava em atraso e se refere à safra de 2014-2015, é de R$ 711.844,64.

A informação está publicada na edição desta quinta-feira (20), no Dário Oficial do Estado, por meio da Portaria 142/2018 – GDP/IDAM. Eduardo Rizzo esclareceu que a subvenção corresponde ao valor unitário de R$ 0,40 para cada quilo de juta ou malva que o produtor comercializa durante a safra referida. “O Governo repassa esse valor ao produtor, como uma forma de incentivar a produção e favorecer as famílias”.

Eduardo revelou, ainda, que o pagamento da subvenção estava atraso em 04 safras, totalizando cerca de R$ 5 milhões. “O Governo atual vem fazendo todos os esforços necessários para que posamos pagar todos esses atrasados, se possível ainda este ano”, reforçou.

A informação foi anunciada em primeira mão, ontem, quinta-feira (20), durante o vento Dia de Campo: encontro do setor de fibras do Amazonas, realizado pelo Sebrae no Amazonas, em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea) e outras instituições. O Evento ocorreu na Comunidade Monte Carmelo – Costa do Cabaleana III, pertencente ao município de Manacapuru (cerca de 70 quilômetros Manaus). Na localidade, vivem famílias que há várias décadas e gerações produzem juta e malva.

A diretora-superintendente do Sebrae no Amazonas, Adrianne Gonçalves, disse que o objetivo do Dia de Campo foi reunir o maior número possível de instituições ligadas ao setor agrícola, incluindo o Governo do Estado e Prefeitura de Manacapuru, para que tomem conhecimento sobre as atuais necessidades e demandas dos juticultires e malvicultores. “Nós, do Sebrae, vemos esse segmento, o da juta e malva, como um dos mais importantes para o Amazonas e por isso fixemos o convite para que todos os órgãos se fizessem presente e pudessem ouvir os produtores rurais”.

Durante o evento, após breve apresentação de cada instituição, os produtores expuseram suas demandas para aumentar a produção de juta e malva. Entre os destaques, a necessidade de manter e aumentar a distribuição de sementes, menos burocracia de oferta de crédito e assistência técnica no cultivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here