Take a fresh look at your lifestyle.

LAVA JATO: PF detém Lula e faz buscas em imóveis e escritórios do ex-presidente

-publicidade-

Delegados da Polícia Federal e auditores da Receita Federal deflagraram na manhã desta sexta-feira, a vigéssima quarta fase da Operação Lava Jato. O principal alvo da ação é o ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva. A Justiça emitiu mandato de condução coercitiva contra o ex-presidente. Ou seja, Lula foi levado pela polícia para prestar depoimentos. Além do ex-presidente, Paulo Okamoto, que preside o Instituto Lula também foi levado pela Polícia Federal. Além disso, os delegados da Polícia Federal cumprem mandatos busca e apreensão na casa do ex-presidente, na casa e empresa dos filhos e no sítio da família Lula, em Atibaia, São Paulo. Ao todo, a Justiça expediu 44 mandados; 33 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva. A operação foi batizada de “Aletheia”, termo grego que significa “busca da verdade”. As ações dos delegados da Polícia Federal estão sendo realizadas no Rio de Janeiro, na Bahia e nos municípios paulistas de São Bernardo do Campo, Atibaia, Guarujá, Diadema, Santo André e Manduri. A operação Aletheia foi deflagrada para aprofundar investigação de possíveis crimes de corrupção e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras. A suspeita da PF é que, houve pagamentos feitos por José Carlos Bumlai e pelas construtoras OAS e Odebrecht a Lula. De acordo com o Ministério Público Federal, há evidências que Lula recebeu valores da Petrobras por meio de reforma do triplex e do sítio em Atibaia. Outra linha da investigação da PF é para apurar pagamentos ao ex-presidente realizados por empresas investigadas na Lava Jato. Os delegados da Polícia Federal também investigam evidências que Lula teria recebido, pelo menos, um milhão de Reais sem justificativa da OAS, por meio de reforma no triplex do Guarujá. De acordo com a Polícia Federal, Lula foi levado para um hotel, em São Paulo, onde presta depoimento. Nesta quinta-feira, a revista Isto É publicou na internet suposta delação premiada do senador petista, Delcídio do Amaral. No texto publicado, Delcídio teria dito a Justiça que o ex-presidente Lula tinha conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras e que a atual presidente Dilma Rousseff agiu para interferir nas investigações da Lava Jato. O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, agora na Advocacia-Geral da União, veio a público para defender a presidente. Delcídio, emitiu nota, ao final do dia, dizendo que, não confirma o teor da reportagem de Isto É, mas também não negou. A delação de Delcídio precisa ser homologada pelo STF para ter valor.
Reportagem, Cristiano Carlos

-publicidade-