Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Live da tradição – Boi Caprichoso prepara trilha sonora inesquecível para emocionar

O apresentador Edmundo Oran e o levantador de toadas Patrick Araújo prometem levar o público azulado ao delírio durante a live “Boi de Rua: Tradição Caprichoso”

O entrosamento entre o apresentador, Edmundo Oran, o levantador de toadas, Patrick Araújo, e a banda oficial do Caprichoso prometem levar o público azulado ao delírio durante a live “Boi de Rua: Tradição Caprichoso”, na noite do próximo sábado, 22 de maio, a partir das 22h30. Os itens número um e dois ensaiam intensivamente o repertório musical definido pelo Conselho de Arte, para a nação azul e branca relembrar grandes momentos da tradição do touro negro. O evento contará com transmissão ao vivo pela TV A Crítica e pelo canal oficial do Caprichoso, no YouTube.

Patrick Araújo diz que se empenha ao máximo para proporcionar mais um espetáculo à altura do torcedor azulado. “Ele (torcedor), com certeza, vai se emocionar, vai relembrar, com o repertório, com todo o espetáculo que o Conselho de Arte preparou, junto com o presidente Jender Lobato, vice-presidente Karú Carvalho. Eu e meu parceiro Edmundo temos a missão de levar alegria à nação azulada”, destaca.

O apresentador do bumbá se dedica para fazer uma grande performance em mais uma live padrão Caprichoso. “Já afinamos os instrumentos, a Marujada de Guerra, com o nosso levantador de toadas e banda. Nosso repertório é lindo, preparado com muito carinho para a nação azul e branca. No dia 22, vamos azular Parintins, o Amazonas, o Brasil e o mundo. Enfeite sua casa, vista sua camisa para assistir e curtir a nossa live”, convida.

O presidente do Conselho de Arte, Ericky Nakanome, afirma que o Boi Caprichoso trará surpresas inesquecíveis, com uma trilha sonora especial. “Escolhemos como tema a tradição cabocla do Boi de Rua, por isso preparamos um repertório fantástico, envolvente, gostoso, de toadas que narram a nossa história. Teremos a melodia cantada pelos lamparineiros de décadas passadas, o ritmo do Canto da Mata, o som de Arlindo Jr, a poesia de Ronaldo Barbosa, e também as obras que marcaram as últimas gerações”, anuncia.

-publicidade-