Mais de 22 mil famílias podem ter o Bolsa Família cancelado por falta de atualização cadastral

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), inicia nesta quarta-feira, 7/11, uma força-tarefa para garantir que mais de 22 mil famílias consigam realizar a atualização do Cadastro Único (CadÚnico), até a quarta-feira, da próxima semana, 14/11. O CadÚnico permite o acesso da população de baixa renda a benefícios sociais, como o Bolsa Família.

Essas famílias fazem parte dos grupos G5c e G9 que deveriam ter feito a atualização cadastral até o dia 14/9. Com a proximidade do fim do novo prazo, quem não fizer o recadastro terá o benefício cancelado.

Entre as medidas que serão adotadas pela secretaria, está o atendimento iniciando uma hora mais cedo, às 7h e seguindo até às 17h, em todos os Centros de Referência de Assistência Social (Cras); na sede da Semmasdh, na avenida Ayrão, esquina com a avenida Ferreira Pena, Centro; e também na Subcentral do Cadastro Único localizado no Shopping Phelippe Daou, no Jorge Teixeira, zona Norte, próximo ao Terminal de Integração 4 (T4).

O secretário da Semmasdh, Dante Souza, destacou que por determinação do prefeito Arthur Neto, estão reforçando as equipes e os atendimentos para que todos possam fazer a sua atualização antes da data final, que é o dia 14.

Outra medida que será adotada é a suspensão no atendimento de inclusão de novos usuários até o dia 14 deste mês, ou seja, todas as unidades estarão atuando, exclusivamente, no recadastro das famílias inseridas nos grupos G5c e G9. O atendimento volta à normalidade a partir do dia 19.

DOCUMENTOS

Para fazer o recadastro, o responsável da família precisa dos seguintes documentos com cópia:

§ CPF;

§ Título de eleitor (é necessário estar com o título em dia com a justiça eleitoral);

§ Um documento de identificação original com foto (RG, CNH entre outros).

§ Carteira de trabalho dos membros economicamente ativos;

§ Certidão de nascimento;

§ Comprovante de matrícula escolar (no caso de crianças e jovens entre 0 e 17 anos de idade;

§ Comprovante de residência válido dos últimos três meses.

Texto: Leonardo Fierro / Semmasdh