Take a fresh look at your lifestyle.

Manacapuru – Wilson Lima visita fábrica de juta e malva que conta com produção valorizada após pagamento da subvenção

Cadeia será fortalecida em 10 municípios do estado, beneficiando 758 produtores

-publicidade-

O governador do Amazonas, Wilson Lima, visitou, nesta quarta-feira (25/11), a Companhia Têxtil Castanhal (CTC), fábrica de beneficiamento de juta e malva, localizada em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). O local, que compra matéria-prima de produtores e juticultores da região, terá a produção impulsionada com o pagamento de aproximadamente R$ 3,6 milhões referentes à subvenção econômica da juta e da malva para 758 produtores rurais de 10 municípios do estado.

“O estado do Amazonas é, hoje, o maior produtor de juta e malva do Brasil. Mercado tem, o que a gente precisa é aumentar a nossa oferta. Por isso, estou vindo aqui para fazer o pagamento da subvenção da juta e da malva para os juticultores. A gente está pagando o remanescente dos anos 2018/2019 e a safra de 2019/2020. Quando eu assumi o Governo, eu tornei isso uma prioridade”, ressaltou Wilson Lima.

Ele destacou que, há pelo menos cinco anos, os juticultores não recebiam o incentivo do Governo do Estado. “Hoje, nós temos um compromisso com esses produtores porque entendemos a importância que esse produto tem, não só na proteção do meio ambiente, mas também para alavancar a atividade econômica e proteger esses produtores”, afirmou o governador.

Produção – A CTC trabalha no fornecimento de sementes aos produtores e também garante aos produtores a compra da juta e da malva nas épocas de colheita. A unidade da CTC de Manacapuru faz a classificação da matéria-prima e repassa para a indústria, que faz a produção de fios, sacos e telas, localizada em Castanhal (PA).

“O pagamento da subvenção se dá referente à nota fiscal emitida em nome do produtor. Para todo o produtor que produz uma quantidade de fibra, juta e malva é emitida uma nota fiscal. Já credencia o produtor ao pagamento da subvenção. Só nós geramos uma média de 1.500 empregos diretos no interior e aproximadamente 100 a 150 famílias na cidade. Fora outras atividades que giram em torno do nosso setor, como pontões, barcos, mão de obra e outros setores que se beneficiam do nosso setor”, pontuou Elandio Pantoja, gerente de CTC.

De acordo com o gerente, em parceria com a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), a fábrica atua na distribuição de sementes aos produtores em municípios como Codajás, Anori, Anamã, Parintins e Manacapuru.

“Com isso, vai alavancar a situação do produtor se animar para produzir cada vez mais. Com a fibra dessa semente, a gente faz o fio que vai beneficiar a sacaria para uso de café, batata e demais outros itens no mercado nacional. Então, a produção de fibra hoje vem dar um incentivo muito grande a classe produtora”, pontuou Elandio Pantoja.

Benefício – O valor de R$ 3,6 milhões referente à subvenção econômica da juta e da malva corresponde à safra remanescente de 2018/2019 e à safra de 2019/2020, totalizando mais de sete mil toneladas de fibras que serão pagas por meio da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS).

O benefício será concedido com novo valor, reajustado pelo Decreto nº 41.830/2020, que estabelece em R$ 0,50 o pagamento por quilo de fibra de juta e malva embonecada. O valor é 25% superior ao preço de R$ 0,40 praticado anteriormente.

“Essa juta vai servir muito para o nosso custo de alimentação, para pagar nossas contas, estou com oito contas de luz para pagar, é uma ajuda importante para fazer um rancho para minha família, cuidar da minha filha que vai pra Manaus fazer um tratamento, pagar minha passagem e comprar remédio. É uma situação fundamental para a gente”, considerou o juticultor Marcelo Carvalho, que trabalha com a fibra há mais de 10 anos, ao lado da esposa.

“Com a produção da juta e da malva, eu cheguei a pagar a faculdade do meu filho, que hoje já é formado, professor de Educação Física. Então, isso nos ajuda muito, é um produto que você tem mercado para vender. O foco maior do produtor hoje é a juta e malva”, acrescentou Edmar Ramires, que tem na juta e na malva a principal fonte de renda para o sustento da família de cinco pessoas.

Cartões do Produtor – Ainda em Manacapuru, foram entregues 200 Cartões de Produtor Primário (CPP) por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

O Cartão do Produtor é um documento que identifica a categoria e viabiliza benefícios como a isenção do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas compras de insumos agrícolas; além de credenciá-los para a comercialização da sua produção rural no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na merenda escolar municipal, estadual e federal.

Foto: Tacio Melo/Secom

-publicidade-