Take a fresh look at your lifestyle.

MANAUS (AM): 600 mil imóveis estão sendo vistoriados no combate ao Aedes, na capital

-publicidade-

Para vistoriar os mais de 600 mil imóveis de Manaus, que são alvos do combate ao mosquito Aedes aegypti, mais de mil agentes de saúde e de endemias estão nas ruas. De acordo com a secretaria de Saúde de Manaus, dos 63 bairros da capital,17 registram altos números de infestação do Aedes. Entre eles estão São José, Tancredo Neves e Coroado. O motorista, Antônio Martins, de 51 anos é morador de Coroado. Ele revela que a localidade onde vive sofre com a presença do mosquito. “Com essa epidemia, podemos dizer assim, o negócio está ficando complicado. E se a gente não tiver uma fiscalização, digamos assim ,vai ficar cada vez mais difícil ”

Segundo a Subsecretaria Municipal de Saúde, de Manaus, mais de cinco mil moradores da capital ainda não abriram as portas de casa para a vistoria dos agentes de combate ao Aedes. A subsecretária Municipal de Saúde do município, Lubélia Sá Freire, pede que, a população de Manaus contribua e permita a visita dos agentes. “É preciso que a população acolha e faça junto com o agente, deixe ele entrar para a partir daí ela continuar fazendo a manutenção.”

A recomendação do Ministério da Saúde é que, cada família reserve 15 minutos por semana para combater o Aedes Aegypty. A dica é acabar com possíveis focos do mosquito com limpeza dentro de casa, nos quintais e varandas. A principal forma de se proteger é impedindo o nascimento do vetor, como ressalta o diretor de Vigilância de Doenças Transmissíveis do ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch. “O mosquito precisa de água para colocar seus ovos e para que surjam novos mosquitos. Então é importante eliminar qualquer recipiente que contenha água parada.”

Em Manaus, quem se interessar em entrar no combate ao Aedes como um brigadista voluntário pode ligar no número 0800 280 8 280. O telefone é da Secretaria Municipal de Saúde, que está com inscrições abertas para quem quiser aprender a combater o mosquito. Saiba mais na internet, no endereço combateaedes.saude.gov.br

Reportagem, Raphael Costa

-publicidade-