O ano letivo em todo o país está chegando e os pais e responsáveis devem redobrar a atenção na hora de comprar a materiais escolares. E a palavra de ordem é pesquisar. É que uma pesquisa de preço de feita pela Fundação Procon-Sp identificou uma grande diferença de preços, considerada abusiva. Segundo o levantamento, as diferenças entre preços cobrados nas lojas por um mesmo produto podem chegar até 420%. É o caso da borracha látex branco, que custava 48 centavos em um estabelecimento e R$ 2,50 em outro. A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 15 de dezembro de 2015, e foram analisados 243 itens em 10 estabelecimentos em todas as regiões da capital de São Paulo. No balanço, a variação dos preços médios foi de mais de seis por cento. De acordo com a diretora executiva da Fundação Procon-SP, Ivete Maria Ribeiro, é importante que o consumidor visite diferentes estabelecimentos e sites na internet, e negocie para uma boa compra. Além de procurar pelo bom e velho desconto, outra dica importante para economizar no material escolar é verificar quais itens que restaram no período letivo anterior, que podem ter preços mais em conta. O Procon também sugere aos pais avaliarem a possibilidade de reaproveitamento de materiais já utilizados no ano letivo passado e lembra que nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade. Por fim, o Procon recomenda evitar materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, pois, segundo a instituição, têm os maiores preços cobrados no mercado.
Reportagem, Vânia Almeida