Maternidade Alvorada já realizou mais de 1,3 mil partos no primeiro semestre de 2021

A unidade completou, no dia 1º de julho, 36 anos de funcionamento

A Maternidade Alvorada, unidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), realizou 1.329 partos somente nos primeiros seis meses deste ano. Sendo 643 partos normais, 406 cesarianos e 50 partos de mulheres estrangeiras, respeitando o princípio de integralidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Apesar de ser uma unidade pequena, ela é muito acolhedora e completa. Hoje temos um centro cirúrgico equipado com aparelhos modernos e digitais, temos uma estrutura mais confortável pensando na humanização não só da mãe, mas também de quem acompanha a paciente. Não é por sermos uma unidade pequena, que ficamos de fora da modernização”, contou Márcio Rodrigues, gestor da unidade.

Trabalhando na unidade há 34 anos, o técnico de enfermagem Evandro Mourão, relembra o início da unidade, quando a estrutura era simples. “Quando vinham gestantes para cá, às vezes elas chegavam aqui em frente e muitas dessas vezes voltavam, porque a infraestrutura era no formato de uma casa simples, então muitas não sabiam que ali funcionava a casa de parto”, relatou.

O técnico também ressalta o crescimento do corpo de servidores da maternidade durante as últimas décadas. “Eu vejo muita evolução principalmente no corpo técnico, que desde o início aumentou. No meu início, por exemplo, eram somente dois técnicos, um médico e uma enfermeira. Isso melhorou com a ampliação e construção do centro cirúrgico, quando a secretaria mandou mais servidores. Agora tá muito melhor”, disse.

Em 2014, esta unidade aderiu ao programa nacional da Rede Cegonha que preconiza o Parto Natural e Humanizado. Atualmente a unidade possui alojamentos mais confortáveis, tanto para as mães quanto para os pais, além de uma Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (Ucinca), que segundo a gerente administrativa Gisele Vieira, ajuda na recuperação de recém-nascidos que ainda necessitam ser assistidos por profissionais na unidade.

“Quando o bebê está nos braços da mãe ou do pai, ele se aquece facilmente e não precisa fazer esforço e assim economiza energia sem precisar se aquecer sozinho. Ele tem a possibilidade de ganhar peso mais rápido, e isso ajuda na recuperação para que ele receba alta mais rápido”, explicou a gerente.

Histórico – Inaugurada em 1985, o então Centro de Atenção Materno Infantil “Balbina Mestrinho I” (CAMI I), foi a primeira casa de parto inaugurada pela SES-AM. Contando com 10 leitos e 4 camas de pré-parto, mas até então realizando somente partos normais. A unidade passou por sua primeira reforma e ampliação do centro obstétrico em 1999, recebendo sua primeira sala de cirurgia e assim possibilitando a realização de partos cesarianos.

Em 2001, após passar por outra reforma, a unidade passou a ser finalmente identificada como Maternidade Alvorada – CAMI I, dessa vez contando com 30 leitos, assistência ao recém-nascido (RN), sala de esterilização e preparo de materiais, sala de recuperação pós-anestésica, laboratório de análises clínicas e ultrassonografia. A unidade também presta serviços voltados para o planejamento familiar, acompanhando a saúde da mulher e da criança.

FOTO: Marcos Vinícius Araújo/SES-AM