MBL avalia adesão de PSDB junto ao PT, PSOL e PC do B em ato contra Bolsonaro

O PSDB de São Paulo, representado pelo presidente do diretório, Fernando Alfredo, vai se unir aos partidos de esquerda em atos contra o presidente Jair Bolsonaro. O próximo protesto está marcado para este sábado (01). Essa é a primeira vez que o partido se posiciona sobre as manifestações contra o governo.

“Nosso líder Bruno Covas disse que restariam poucos dias para o obscurantismo e o negacionismo e, para que isso se concretize, é necessário que todos os que são a favor da democracia e principalmente da vida se unam contra um governo que coloca o brasileiro a venda por 1 dólar”, afirma nota assinada pelo presidente do diretório municipal do PSDB da capital paulista, Fernando Alfredo.

O Movimento Brasil Livre (MBL) avalia a adesão ao protesto. Renan Santos, coordenador nacional do MBL, afirmou que sua posição particular é pela realização de protestos pelo impeachment de Bolsonaro. “Pessoal, tudo se encaminha para um gigantesco esquema de roubo de vacina. Não dá para não ir para rua”, disse, no Twitter. Ontem, Renan resolveu consultar a opinião de seus seguidores em um vídeo que pergunta: “Você sairia às ruas contra o governo Bolsonaro?”.

O MBL debate a questão internamente e vai levar em conta opiniões nos comentários da publicação. Fonte Gazeta Brasil.