As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Médico faixa marrom faz atendimento no tatame durante Copa América de BJJ

O ortopedista Eduardo Lass, que é faixa marrom da equipe Ribeiro BJJ, viveu um dia muito especial em sua carreira de mais de 15 anos como médico. Na tarde deste sábado, 30 de março, no ginásio Bergão, em Manaus, ele precisou fazer um atendimento de emergência no tatame durante a Copa América de Jiu-Jítsu Esportivo 2019. Foi como se tivesse conquistado uma medalha de ouro, tamanho o reconhecimento do público que viu a cena.

O lutador Eros Danilo, que é da cidade de Santarém (PA) e representava a equipe Cia Amazonense na competição, teve luxação na patela da perna direita quando participava de um dos combates da competição No Gi, entre os adultos da faixa preta na categoria acima de 95 kg. O joelho do atleta saiu completamente do lugar. Lesionado, ele gritou alto em desespero e chamou atenção de todos os presentes no ginásio.

Médico lutava ao lado

O ortopedista, que no mesmo dia iniciava a parceria com os eventos organizados pela Federação Amazonense de Jiu-Jítsu Esportivo (FAJJE), estava no ginásio. O curioso é que o médico também estava inscrito na Copa América e disputava seu combate numa área ao lado do tatame onde Eros vivia seu drama pessoal.

Prontamente, Eduardo Lass viu a cena e pôs seu conhecimento de “faixa preta em Medicina” em prática. Na hora, ele colocou o joelho do visitante paraense no lugar. O socorro foi aplaudido pelo público e o competidor lesionado recebeu o devido atendimento, além da orientação de procurar um hospital para bater um Raio-X.

“Meu adversário deu uma entrada de queda e eu fui defender, fiz o sprawl, só que nisso meu pé engatou na beirada do tatame e aí joelho forçou para fora e o ligamento não aguentou o peso, a pressão. O ligamento saiu para a lateral, uma dor absurda. Depois o médico colocou tudo no lugar, foi muita sorte ter um ortopedista da luta por perto”, disse Eros.

A parceria da FAJJE com Eduardo Lass vai continuar nos próximos eventos do calendário de 2019. Eventualmente as competições de artes marciais demandam a assistência médica especializada, já que é comum nos campeonatos a ocorrência de lesões, machucados e entorses. A presença de um profissional da área é questão de preservação da saúde dos atletas.

“Com essa parceria com a federação, eu pretendo mostrar o meu nome como médico, como profissional, e divulgar a minha marca e levar isso ao conhecimento de quem pratica o esporte”, enfatizou o ortopedista, que é especialista em Cirurgia de Joelho.

Em tempo: o faixa marrom Eduardo Lass também subiu ao pódio na competição como terceiro colocado no Máster 2, categoria leve.

Texto e fotos: Emanuel Mendes Siqueir

você pode gostar também