Amazonas Notícias
Amazonas Notícias

“Mestre, onde moras? Vinde e vede”

Fim da tarde de 18 de janeiro, domingo nublado, com chuva fina, cerca de 600 jovens vindos de todos os cantos de nosso imenso Brasil trazem uma máxima: “No Encontro das águas, partilhamos a Vida, o Pão e a Utopia.” Todos partem para a Praia da Ponta Negra e a Arquidiocese de Manaus, principalmente os mais de 180 grupos de base se juntam aos delegados e convidados do 11ºENPJ e assim somam uma multidão de mais de 6 mil pessoas para Celebração de Abertura. Dom Sérgio Castriani, Dom Vilson Basso, Dom Roque Palosqui, Dom Eduardo Pinheiro e Dom Mário Antônio, com mais de 38 sacerdotes, 4 diáconos permanente junto com os milhares de jovens adentram a noite celebrando a Eucaristia, preparada com muito esmero e arte jovem. Após celebração partem ruma as taperas das 280 famílias que em 34 paróquias e áreas missionárias hospedam todos esses curumins e essas cunhantãs. E foi o primeiro dia…

Manhã de segunda-feira, 19 de janeiro, a alegria, o reencontro, as conversas de corredor bem cedo surgem em todo colégio La Salle que sedia o 11º ENPJ. O Espetáculo de abertura realizado com muita arte, carregada do lúdico, regada de muita música regional, traz a saga de ribeirinhos que vem contar uma história de amor, o caminho e a apresentação do Encontro Nacional em Manaus/AM. No grande paneiro da vida , trazemos esperança, alegria e muitos sonhos. Chega também o estandarte de Maringá. Encontro de Norte a Sul que costura o Brasil com linha de carinho e ternura. E no cume chega o estandarte de Manaus que relembra uma casa, uma tapera, que abriga e acolhe todo Brasil nesta semana.

Falas muito intensas e marcantes perpassam a Mesa de Abertura: “…O mundo de hoje não acredita em encontro, mas em massa. Por isso esse encontro é uma voz profética para igreja, Brasil e mundo…”, “…Barco parado não ganha frete. Juventude parada mundo quebrado…”, “…”A Igreja do Brasil confia na Pastoral da Juventude…”, “…A PJ é a maior escola de formação de lideranças da Igreja do Brasil…”

A tarde, Análise de Conjuntura, apresentação de angústias, preocupações, mas também, muita esperança nos avanços e nas possibilidade de continuar a transformação. Solange, Pe. Tião e Laisa, nos brindaram com muitas provocações e intenso debate. Em seguida, Ir. Angela Folqueto, Dom Sérgio e Thiesco erguem um novo brinde com caxiri, sim caxiri da vida na Amazônia. A Igreja latino-americana protagonista na caminhada libertadora, principalmente após o Concílio Vaticano II é fonte da Utopia. A Igreja da Amazônia já em 1972, em Santarém/PA, aponta 5 pontos prioritários: Formar Comunidades, Formação dos Leigos, Causa Indígena, Opção Preferencial pelos Pobres e pela Juventude, foi recordado pelo Arcebispo de Manaus que ressaltou que na Amazônia sempre se teve um olhar preferencial para questão dos jovens, principalmente através da proposta da PJ. Ir. Angela partilhou de sua vida e missão enquanto religiosa salesiana e suas andanças pelo Sudeste da Amazônia.

A noite o “fala maninho”, momento cultural em que trouxe temas como Juventude e Igreja apresentada pelo Pe. Toninho, Juventude e Sociedade com o Jonatas Vicente e Projeto de Vida com Lidiane Cristo (CN-Norte 1). A juventude pode se expressar, sorrir, mostrar várias preocupações e também dançar e expressar sua alegria de ser Igreja Jovem. E assim foi o segundo dia…

Amanhã, dia 22, às 8h, todos os jovens e assessores do 11° ENPJ participarão de um Momento Orante, no Encontro das Águas. A saída da balsa e dos barcos será no porto da Manaus Moderna.

PAPA FRANCISCO enviou carta ao 11° ENPJ – Encontro Nacional da Pastoral da Juventude.

“NO ENCONTRO DAS ÁGUAS PARTILHAMOS A VIDA, O PÃO E A UTOPIA.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here