Take a fresh look at your lifestyle.

Memórias da culinária italiana e da serra gaúcha brasileira são tema de documentário que retrata a vida das mulheres da Família Fochesatto, que cozinham com sabor, memória e afeto, desde 1883

-publicidade-

MANAUS – “A arte de cozinhar com sabor, memória e afeto” é uma obra inédita e documental, roteirizado e dirigido pela atriz e jornalista, Vanessa Pimentel, que resgata a história,as memórias, costumes, receitas e tradições transmitidas de geração em geração, pelas mulheres da família Fochesatto, que cozinham massas italianas artesanais, desde 1883,

O projeto foi premiado pelo edital ‘Conexões Culturais’,da prefeitura de Manaus, através da Fundação de Cultura, Turismo e Eventos- MANAUSCULT e Lei Aldir Blanc.

Devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a estreia do doc será feita 100% online,via plataforma de streaming, com acesso gratuito pelo link: https://bit.ly/docaartedecozinhar, dia 30 de de dezembro, às 19h00.

‘Uma paixão antiga e uma realização profissional’

Vanessa Pimentel possui mais de 25 anos de carreira, e sempre se dedicou como atriz, ao teatro, televisão e ao cinema, na cidade de Manaus.

Neste ano de 2020, com a oportunidade oferecida pelo edital ‘Conexões Culturais’, Vanessa decidiu se desafiar profissionalmente e investir na produção de um média metragem, um filme-documentário, que é capaz de unir, duas grandes paixões suas: o cinema e a história da sua família.

“Eu sou apaixonada pelo mundo audiovisual,sou cinéfila e amo muito a estética do cinema antigo, clássico, além de estar sempre assistindo e pesquisando sobre filmes de arte. Eu sempre me inspirei muito no trabalho de grandes atrizes e ícones do cinema internacional europeu e brasieleiro. Talvez por isso, além de poder homenagear as mulheres da minha família, nesta produção, de certa forma, eu também esteja me realizando profissionalmente.É tudo muito significativo, e com certeza um marco na minha vida pessoal e na minha carreira”

‘Valor Afetivo’

“Esse projeto tem uma importância gigantesca na minha vida porque trata-se da história das minhas raízes, da história da minha família, e consequentemente da vida das minhas antepassadas, que vieram da Itália para América e povoaram a região sul do Brasil. Essas mulheres sempre foram muito talentosas e batalhadoras. Elas cozinhavam divinamente bem, e faziam tudo de maneira artesanal, desde o molho, até a massa, o recheio, pães, geléias, biscoitos, bolos e tinham habilidades como costura, macramê,crochê,tricô e ainda participavam dos trabalhos na lavoura, das plantações, da horta, dos vinhedos. E no sul do país, eu fui criada com todas essas tradições: as danças, os cantos, os festejos, as vestimentas, e os costumes característicos do nosso povo, que também é o falar alto, o gesticular bastante, ..tudo isso que compõe, um universo de lembranças bastante significativo da minha família.” afirma Vanessa,

“E é justamente por ser descendente da família Fochesatto, da família Sgarioni que eu decidi produzir esse documentário, como forma de honrar e homenagear, todas essas mulheres com muita gratidão porque elas fizeram parte da minha infância da minha juventude, da minha maturidade.Foram elas que cozinharam pra mim, que me embalaram na rede com histórias, com orações, com cantos e povoaram todo o imaginário de artista que eu sou hoje, então toda vez que eu escrevo, quando eu interpreto, quando eu faço um produto artístico, é em tudo isso que eu bebo, neste grande universo que são, as minha memórias afetiva e familiares” Conclui, a artista.

‘Personagem principal’

A protagonista de toda esta linha narrativa é Marisa Sgarioni, uma senhora simples e trabalhadora, que mora em Manaus, há mais de 20 anos e tem como o seu principal ofício e fonte de renda, a produção de massas italianas artesanais, também provenientes de uma mistura ítalo- brasileira, através da culinária típica da serra gaúcha.

‘Herança de Família’

Theresa Fochesatto, a nona (avó) de Marisa foi quem despertou nela, o amor e o interesse pelo culinária, além do desejo de se dedicar a aprender as receitas tradicionais da família, como a polenta, um alimento de grande resistência, que pode ser considerado, o principal sustento de muitos italianos e seus descendentes durantes vários anos..

“A minha avó foi quem me deu o amor pela cozinha. Tudo que eu sei, eu devo a ela. Ela foi a minha grande mestre. Tudo o que minha avó cozinhava, ela levava muito a sério, pra ela, cozinhar era como uma religião. Ela tinha um amor muito grande pela terra, pelo que se planta, pelo que se colhe, e por todo tipo de comida, desde o tradicional arroz e feijão brasieleiro, até pratos típicos da culinária italiana, propriamente dita, como o tortei, o nhoque, a menestra, e doces maravilhosos como sfregolá, grostoli, cremonese…”

‘Cozinhar também é uma arte’

“Quando eu cozinho, eu me sinto como uma artista pintando um quadro. E eu realmente acredito que o que fazemos pode ser comparado ao trabalho de um pintor, pois para nós, o prato é a nossa tela, os temperos, ingredientes, molhos etc são as nossas tintas e o resultado de todo esse processo criativo é um belo quadro, que neste caso, em específico, também será posto à mesa, para que todos possam admirar a sua beleza e também se deliciar com ele.” destaca, Marisa Sgarioni.

‘Sabor, Memória & Afeto’ nas palavras da roteirista e diretora:

Sabor

“A palavra sabor, me remete a minha infância, comida artesanal, preparada com todo carinho e amor pela minha Avó, pela minha mãe, colocando na mesa todo esse acolhimento, essa afetividade, de realmente proporcionar através do preparo cuidadoso do alimento, sensações maravilhosas.

Memória

Na minha memória, eu guardo sempre como lembrança, a imagem da minha bisavó, de como ela me chamava no porão da casa… onde se guardava queijos, vinhos, salames, mortadelas, e outros tipos de frios, para que eu pudesse ver como ela fazia o pão, como ela puxava massinhas…e me dava, sempre a oportunidade de fazer também um pãozinho pequeno, colocá-lo no forno, e comê-lo depois, e eu me sentia muito feliz em poder partilhar esse momento de criação com ela e também com a minha avó, Eurosia.

Afeto

Acho que essa palavra resume todo o amor, que essas mulheres passaram de geração para geração, para que se perpetuasse essa arte de cozinhar típica da família Fochesatto, pois foi com elas que eu aprendi que a comida é um lugar de poder, haja vista que que quem cozinha detém o poder da sobrevivência, mas que ela também é um lugar de muita doação, amor, carinho, dedicação, generosidade e afeto. E, sem dúvida, o meu grande espelho de tudo isso, é a minha mãe, Marisa.” Afirma, Vanessa.

‘Expectativas sobre a estreia do documentário’

“Estou muito ansiosa para a estreia. Tô louca pra ver como ficaram as imagens, minha cabeça e o meu coração estão a mil. Estou contando os dias, as horas e os minutos…” revela Marisa.

Segundo a artista, Vanessa Pimentel, além da cultura Italiana, o documentário, também dialoga com a cidade de Manaus, e seus universo de cores e frutos regionais, como tucumã, além de monumentos históricos como Mercado Municipal Adolpho Lisboa, e as belezas e paisagens que o cercam como o rio, a área portuária, e o povo trabalhador da cidade que fornece todos os dias, ingredientes e temperos necessários para a preparação dos pratos mais populares da personagem principal, Marisa Sgarioni, como o nhoque, caneloni, tortéi, rondelli, lasanha, e muitos outros.

Pós Estreia

Após a estreia do documentário, a equipe de comunicação do projeto irá compartilhar com o público, conteúdos exclusivos como fotografias do arquivo pessoal de família, bastidores, making off, e ainda o vídeo release oficial do projeto, e no ano de 2021, distribuirá cópias gratuitas para museus, universidades, bibliotecas e outros centros de pesquisa histórica e cultural, existentes em Manaus e nas comunidades italianas do Rio Grande do Sul, além do museu do imigrante, no qual a família Fochesatto, tem um lugar cativo e todo especial para guardar suas memórias e fotografias.

Equipe de Trabalho

Além de Vanessa Pimentel que assina a Produção artística, roteiro e direção geral, também integram a equipe de trabalho do doc “A arte de Cozinhar com Sabor, Memória e Afeto”, os profissionais: Rogério Campos (Captação de áudio e imagens; Direção de Fotografia); Emerson Jesus (Edição, Colorização e Finalização); Gerfeson Furtado (Design Gráfico); Tácio Melo (Fotografia de Divulgação); Luana Pedrosa (Making Off) e Wanessa Leal (Produção de Imagens, Assessoria de Comunicação).

SERVIÇO

O quê? Estréia do Documentário”A arte de cozinhar com sabor, memória e afeto”

Quando? Dia 30 de Dezembro

Onde? Canal do Youtube. Acesse: https://bit.ly/docaartedecozinhar

Horário? 19h00- horário de Manaus

Informações: (92) 98258-9133-Wanessa Leal (Ass. Comunicação)

Redes Sociais:

Fã page: https://bit.ly/fapagedocaartedecozinhar

Instagram: @aartedecozinhar.doc

Fotografias/Divulgação: Tácio Melo

-publicidade-