Para permanecer em prisão domiciliar, o ex-ministro Antônio Palocci terá de pagar multa de US$ 20 milhões, conforme pedido do Ministério Público Federal (MPF) à 12ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.

O entendimento do juiz que concedeu progressão de pena a Palocci, Danilo Pereira Júnior, na semana passada, foi de que o bloqueio de bens do ex-ministro, no valor de US$ 37 milhões, era suficiente.

No entanto, procuradores da Lava Jato alegam que não, e cobram o pagamento da multa, que está prevista na sentença condenatória.

Segundo o MPF, de acordo com o portal G1, considerar apenas o bloqueio era uma cláusula do acordo de colaboração assinado pelo ex-ministro, mas que não foi homologado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), responsável pela Lava Jato, e, portanto, não poderia ter sido aplicado.

Palocci estava preso desde setembro de 2016 e deixou a prisão no último dia 29. Desde então, está sendo monitorado por tornozeleira eletrônica.

O MPF pede que o magistrado corrija o erro e exija que Antônio Palocci pague o montante de US$ 20 milhões, além de manter o bloqueio de bens. Com informações do Minuto ao Minuto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here