Take a fresh look at your lifestyle.

Moradores da zona rural de Parintins vivem expectativa com a construção das 17 novas escolas

-publicidade-

Os moradores das comunidades rurais vivem a expectativa da realização do sonho em ver seus filhos estudando em um ambiente humanizado e de qualidade com a construção das 17 escolas em andamento na zona rural. Na segunda-feira. Os comunitários da Nova Canaã e Santo Expedito recepcionaram com alegria o prefeito Alexandre da Carbrás por conta dos investimentos também com a casa do professor que estão sendo erguidas em alvenaria a exemplo das unidades escolares.

Os moradores afirmam que a realidade da educação no interior mudará para melhor, após anos com escolas de péssima qualidade estrutural.

A moradora da Comunidade, Nova Canaã, Keila Melo disse estar muito feliz com a construção da nova unidade educacional que vai proporcionar um ambiente melhor aos dois filhos. “Nós acreditamos no prefeito Alexandre que está fazendo muito não só pela nossa comunidade, mas para muitas outras. É uma alegria para todos nós receber o prefeito e ter a garantia que teremos uma nova escola” destacou.

Para Ana Maria Lima, é uma honra receber o gestor municipal, uma vez que se confirma o andamento acelerado das obras. “O novo prédio representa muito para nós, porque nossos filhos terão uma escola de qualidade que nunca tiveram nesse lugar. Agora estamos realizando o sonho de nossos filhos e sonhos de muitos pais que não necessitarão levar seus filhos para estudar em outro lugar” ressaltou.

O presidente da comunidade, Gesiel Lima Assunção pediu que o prefeito visite a comunidade outras vezes para acompanhar as ações. “A construção do novo prédio vai melhorar a educação dos nossos filhos e nós agradecemos o carinho e a sensibilidade que o prefeito tem conosco” disse.

A moradora da comunidade Santo Expedito, Maria Lea dos Santos disse ser grata pelo novo prédio que dará espaço digno para os seus netos estudarem, uma vez que o antigo prédio de madeira estava envelhecido. “Agradeço muito, porque se não fosse esse trabalho, nós não tínhamos a escola” afirmou.

A comunitária, Marcilene Corrêa espera que em breve a escola fique pronta para o seu filho desfrutar do novo local. Já o pequeno estudante, Aldair da Silva, disse estar ansioso para estudar na escola nova e salienta que a de madeira não era confortável.

-publicidade-