O presidente eleito Jair Bolsonaro vai assumir a Presidência da República no dia primeiro de janeiro, mas quem deverá sentar na cadeira mais importante do país durante as primeiras semanas do próximo governo, é o vice, General Hamilton Mourão.

É que o presidente eleito ainda precisa passar por intervenção cirúrgica como forma de tratamento da lesão causada pela facada que recebeu durante a campanha eleitoral.

Bolsonaro terá de retirar uma bolsa de colostomia que foi implantada no intestino ferido quando ainda era candidato à presidência, após atentado em que foi vítima, em Juiz de Fora, Minas Gerais, no mês de setembro.

A equipe médica que cuida de Bolsonaro havia marcado a retirada da bolsa de colostomia para o dia 12 de dezembro. No entanto, os médicos detectaram uma pequena inflamação na parede do intestino do presidente eleito, durante exames nesta semana, e decidiram por estender o prazo para a retirada da bolsa de colostomia. Sendo assim, o procedimento será realizado após a posse presidencial, mas ainda sem data confirmada.

Bolsonaro deve ficar internado no hospital por cinco dias para a cirurgia e em repouso por outros 10 dias, em casa.

Durante esse período, o país será conduzido por Mourão. O general ganhou destaque na mídia durante a campanha eleitoral por se colocar contra o pagamento do décimo terceiro salário aos trabalhadores e por defender a elaboração de uma nova Constituição no país.

Reportagem, Cristiano Carlos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here