As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Movimento do Comércio fecha com crescimento de 1,7% em 2019

Em dezembro o indicador registrou queda de 2,5% contra o mês anterior

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,7% em 2019, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Já na avaliação mensal dessazonalizada, o indicador caiu 2,5% em dezembro. Em relação ao mesmo mês de 2018, o varejo cresceu 0,8%.

Apesar do resultado negativo em dezembro, nota-se que as concessões de crédito com recursos livres aos consumidores vêm mantendo o ritmo de crescimento, o que, somado ao nível controlado de preços e ao resgate dos recursos do FGTS, parecem suportar o crescimento interanual do movimento do comércio nos últimos meses do ano, encerrando 2019 com a terceira alta anual consecutiva.

O mercado de trabalho, contudo, ainda se recupera lentamente, e a renda cresce pouco, o que tem resultado em aumento do endividamento e do comprometimento da renda, elevando-se, assim, o risco de algum aumento na inadimplência.

De qualquer forma, ao menos a curto prazo, o cenário para o movimento do comércio continua sendo de uma recuperação gradual que tende a se repetir ao longo de 2020.

Setores

Na análise mensal, o segmento de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou queda de 4,7% em dezembro após registrar alta de 5,2% no mês anterior, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, ao longo de 2019 o segmento cresceu em torno de 0,2%.

A atividade de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” registrou variação de -1,8% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses foi de 2% em relação ao ano anterior.

Já a categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” cresceu 0,4% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Nos dados acumulados do ano houve alta de 6,3%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou alta de 1,8% em dezembro considerando dados dessazonalizados, enquanto, na série sem ajuste, a variação acumulada de 2019 foi de -0,2%.